Vrumvrum, permitam-me a onomatopeia. Bus Simulator está de volta, desta feita com a versão de 2021, três anos depois do antecessor Bus Simulator 18. Novamente alimentado por Unreal Engine 4 e desenvolvido pela Stillalive Studios, esta versão quis trazer mais, e aproveitar os grupos específicos de fãs do mundo dos simuladores. Será que entrega da melhor forma? Bilhetes prontos, e venham descobrir comigo.

Para quem como eu, já jogou Bus Simulator 18, não vão ter dificuldades em se ambientar aqui. O tutorial é idêntico e muito breve, e em poucos minutos já estão a conduzir estas enormes máquinas de transporte público. As personagens e as suas vozes são praticamente as mesmas do primeiro jogo, causando-me imediatamente a impressão de que estaria a jogar um patch, até ver algumas das suas novas funcionalidades.

Novidades e um mapa Americano

Mas afinal, o que existe de novidades que vos faça comprar esta versão caso já tenham adquirido a anterior? Bem, poucas coisas de facto. Existem mais algumas marcas, que nos trazem inclusivamente alguns autocarros elétricos (inédito na série), e também de dois andares, mais liberdade de exploração uma vez que agora é completamente open world, podem agora decidir a que horas e qual máquina pretendem conduzir a qualquer momento, e um novo mapa inédito na série.

Angel Shores, é a vertente americana que faltava na exploração, e apesar de se dizer basear em San Francisco, podemos ver um bocadinho de cada estado mais popular aqui representado. Com um ambiente bem iluminado e por vezes até exótico, faz lembrar algumas das zonas mais conhecidas de Los Angeles. Já noutras, com grandes e volumosos edíficios, lembra-nos claramente o estado de Nova Iorque, e claramente a zona costeira lembra-nos muito de imagens se São Francisco.

O melhor da experiência de conduzir neste mapa, são tanto a sinalética como as estradas, que passam perfeitamente a sensação de estar a conduzir em território realmente estrangeiro, e não nas estradas europeias. O mapa europeu também continua no jogo, mais uma vez inspirado nas ruas Alemãs, posto um pouco deixado de lado, continuando praticamente o mesmo do seu antecessor.

Bus-Simulator-21-Map  

Uma das novidades que mais me agradou é a nova gestão da frota, podendo manobrar as rotas que queremos para os condutores que contratamos, e de facto estes conduzem mesmo pelas zonas que lhes indicamos. Se vos apetecer invadir o espaço de trabalho e assumir controlo de qualquer autocarro, é muito simples, basta entrarem, e o comando é vosso. Quem pode, pode!

O modo sandbox também está de volta, e continua exactamente o mesmo, e isso é muito bom! Este é o chamado modo para preguiçosos (e não só), uma vez que criamos uma empresa com dinheiro infinito, com todos os autocarros disponíveis, e todas as rotas disponíveis.

Bus Simulator 21 tem também um modo de jogo online cooperativo no qual os vossos amigos se poderão juntar para conduzirem a frota de autocarros nas suas rotas criadas. Infelizmente não consegui testar este modo.

Reciclagem de três anos!

Visualmente, não senti qualquer mudança, uma vez que esta versão 2021 da Xbox Series S é muito inferior à do Bus Simulator 18 de PC, o qual tive a oportunidade de jogar, horas e horas. Esta versão para consolas sofre imenso de problemas de performance, principalmente com texturas e os seus problemas a renderizar. Talvez seja um problema desta versão da minha consola, já que aparentemente, as Series S correm a versão da One, que por si só são builds já muito datadas para os dias atuais. Acredito ainda assim, que a versão de PC seja extremamente melhorada em relação à de consolas.

Bus-Simulator-21-Inside  

Também a condução naquilo que é a sua jogabilidade, não traz nada de novo. Mais uma vez, se jogaram a versão de Bus Simulator 18, não irão sentir nenhuma diferença tanto no manuseamento do volante, travagens e aceleração. Tudo é exactamente o mesmo. Infelizmente Bus Simulator 21 continua a sofrer do problema do seu antecessor, isto é, por muitas marcas novas que possam existir, todos os autocarros parecem ter o mesmo peso e ter a mesma condução no terreno, causando a impressão que apenas muda o seu visual.

Praticamente todos os problemas que existiam em Bus Simulator 18 transitaram para esta nova versão. A inteligência artificial continua pateta, os modelos das personagens e as suas animações tocas idem, e muitos dos bugs vieram atrelados, como se de um passageiro se tratasse, sem bilhete; infiltrado à socapa.

O problema dos simuladores em consolas

Como é habitual, mais de 90% de jogos baseados em simuladores, são feitos a pensar no público dos computadores, e as adaptações às consolas costumam ser penosas, por muito que se possa tratar do simulador mais simples do mercado. Em Bus Simulator 21, apesar de um menu bem adaptado para determinados atalhos, a experiência não é diferente. Como mencionei acima os problemas de performance são o maior entrave desta versão, que são facilmente corrígiveis no PC através da comunidade, que como sempre entrega através das modificações, versões quase novas deste tipo de jogos.

Também as grandes atualizações como é visto em outros títulos do género de simuladores, serão primeiro disponibilizadas no PC, e muitas vezes nem chegam às consolas. Pode não ser aqui o caso, mas a fazer a junção de tudo o que é habitual acontecer em géneros de simuladores, com o suporte para mods, e menos problemas gráficos e de performance, sem dúvida que a versão definitiva deste jogo é no computador, além de ser mais barata.

Bus Simulator 21 está disponível para PC, PS4 e Xbox One.

Esta análise foi realizada com uma cópia de análise cedida gentilmente pela Astragon Entertainment, a qual agradecemos.

CONCLUSÃO
Divertido
6
Curioso, explorador, e fã de videojogos desde que me lembro, e em especial pela saga Metal Gear. Não jogo plataformas, jogo jogos.
bus-simulator-21-analiseBus Simulator 21 é um título divertido, interessante e acessível, pronto a arrancar para qualquer tipo de jogador. Mesmo com algumas novidades refrescantes ainda se sente que o jogo não entrega todo do seu potencial, com a presença de mecânicas que deveriam ter ficado estagnadas no seu antecessor, como bugs, má performance, e inteligência artificial pateta. A versão de consolas além de bastante mais cara, sofre muito mais com estes problemas, e a versão jogada (Xbox Series S) é uma experiência visualmente desanimadora. Para quem nunca jogou o seu antecessor, este será o ideal ponto de partida para quem quer conhecer um pouco a logística e funcionamentos de um operador de autocarros, mas aconselho vivamente se possível, que seja jogado no PC.