Os tempos de pandemia não têm sido fáceis, especialmente para jogadores de jogos de tabuleiro. De forma a evitar ajuntamentos ou devido à lotação dos espaços, alguns jogadores preferem adiar as suas sessões presenciais, sacrificando o factor social e presencial de jogo e trocá-lo por algo mais digital, como um Carcassone online. Pouco a pouco o desejo de voltarmos à vida normal cresce dentro de nós, mas até lá, temos que nos contentar com as opções digitais.

É aqui que a Resolution Games entra em cena, com um novo jogo de Realidade Virtual, dedicado aos amantes de jogos de tabuleiro: Demeo!

Demeo é um jogo de tabuleiro virtual por turnos, onde vais poder explorar masmorras, derrotar criaturas e colectar recompensas. Isto tudo dentro de um espaço virtual acolhedor com a mesa de jogo totalmente à tua disposição. É fantástico a possibilidade de poderes manipular a mesa à tua maneira. Rodar, ampliar e estar mesmo dentro da acção, quase lado a lado das figurinhas que populam o tabuleiro.

Mas como tudo acontece?

Se és conhecedor de jogos por turnos do estilo Fire Emblem ou XCOM, vais notar logo e perceber como as coisas funcionam em Demeo. Começas a partida escolhendo uma figura que representa uma classe, Guerreiro, Mago, Ladrão e Arqueiro. Escolhida a personagem terás então que executar até 2 jogadas por turno, ou seja, podes movimentar-te, realizar um ataque ou utilizar uma das cartas de acção que tens contigo.

As cartas são o coração das batalhas, pois cada uma terá a sua utilidade que deverá ser utilizada em momentos críticos do jogo, como recuperares os teus pontos de vida ou realizares um ataque massivo que poderá aniquilar uma horda de inimigos de uma só vez. À medida que derrotas inimigos vais preenchendo um medidor de carta que uma vez preenchido concede-te uma nova carta, referente à tua classe. Além disso, poderás ainda obter novas cartas abrindo baús, que encontrarás na masmorra, ou até comprar novas assim que passas um nível, numa espécie de caderneta, com o dinheiro que colectaste nas sessões anteriores.

Lê mais:  Lisbon Game Conference | A Grande Conferência Nacional de Jogos esteve de volta!

Todas as acções que fazes são confirmadas através do rolar de um dado de 12 lados. Este é o que vai decidir se o teu ataque é bem sucedido ou não. Por vezes poderás ter a sorte de causar um dano extra, ao rolar uma face com duas espadas, ou então, arruinar por completo ao rolares uma face com uma caveira, que fará com que o teu ataque não surta qualquer efeito, ou este ser direcionado para o lado errado, havendo a infeliz possibilidade acertares nos teus próprios aliados.

Um jogo de tabuleiro em constante crescimento

Demeo, à altura que escrevo esta análise, possui apenas uma campanha (ou volume como referem) que é composta por três níveis, sendo o último a batalha final contra o Boss. Ao leres isto parece que o jogo não tem muito para oferecer, porém não é bem assim. Cada sessão de jogo será ligeiramente diferente, pois o mapa é gerado aleatoriamente, dando-te mais razões para revistares o jogo. Além disso, os desenvolvedores já estão a trabalhar em mais conteúdo para Demeo, sendo que será já neste Verão (2021) que será lançado o segundo volume, Book 2: Realm of the Rat King, prometendo um novo mapa temático, novos inimigos e novas cartas e inteiramente gratuito. Complementando, para além das 4 classes disponíveis, no futuro serão introduzidas novas classes que vão dar uma nova dinâmica ao jogo.

Um jogo muito social

Demeo conta com um modo single-player, onde poderás jogar sozinho escolhendo 3 figuras para jogares. Contudo neste modo, para além das limitações como só poderes comprar cartas para uma das personagens, não te faz sentir tão entretido como jogares com alguém. É aí que entra o modo multi-jogador!

Lê mais:  Baba Yaga | Análise

No modo multi-jogador podes jogar com mais 3 pessoas, quer sejam amigos ou desconhecidos. E penso que seja esta a verdadeira essência de Demeo: a socialização e a experiência “realista” de estarmos a jogar com outras pessoas. Foi assim que me senti ao jogar com outros amigos; conversar sobre tácticas, agradecer quem nos apoiou, rir de momentos inéditos, foram os momentos chave que me deixaram de sorriso na cara.

Ao ganhar níveis, recebemos experiência, ao que, se chegar a uma certa meta concede itens estéticos para o nosso avatar, que poderá ser então personalizado de várias maneiras para se distinguir dos outros jogadores. No entanto é pena que estas recompensas não se estendam às figuras, onde gostaria de ver novas roupas ou até mesmo novas cartas de a ação a serem desbloqueadas para elas.

Modelos bem trabalhados e uma boa narração

Demeo não se trata só da experiência, mas também do quão imersivo este consegue ser. E é aí que o detalhe gráfico tem o seu papel. Pois bem, posso dizer-te que a Resolution Games fez um óptimo trabalho com os modelos do jogo. Os detalhes das personagens estão minimamente detalhados, considerando que podes fazer zoom até quase tê-las do tamanho da tua mão. Já no mapa em si este está bem criado, considerando que é o único mapa do jogo, justifica claramente o mesmo.

A narração de jogo está bem executada, explicando tudo perfeitamente, desde o começo da história até ao seu tutorial, que te explica na perfeição como deves fazer tudo. Além disso a música ambiente do jogo foi bem introduzida, refletindo a sensação de mistério e exploração, enquanto que ao mesmo tempo não distrai. Além disso o volume ajustado deixa caminho para uma comunicação clara e limpa entre os jogadores.

Demeo já se encontra disponível para dispositivos VR, nas plataformas Oculus Quest e Steam VR (para Oculus RiftHTC Vive, Valve Index e Windows Mixed Reality).

Conclusão da Análise
Muito bom
8
Um fanático por Nintendo, de nome "Nintendista", que procura mostrar ao mundo o lado mágico da empresa que o acompanhou durante toda a vida.