Need for Speed é um nome que apenas uma mão de jogadores desconhece. Seja em corridas de rua, drag races legais, ou até mesmo perseguições enquanto polícia, já todos tirámos uma fatia do bolo que esta saga nos ofereceu. Ora, tantas foram as entradas que a EA decidiu dar uma oportunidade aos novos fãs com o famoso reboot Hot Pursuit, com uma remasterização para as novas consolas (tanto antiga geração como a nova).

Hot Pursuit, para quem não conhece, é um jogo de corridas em que corremos tanto como piloto ilegal, como polícia. O objetivo de cada um é relativamente simples, enquanto piloto ilegal vamos do ponto A ao ponto B, sendo que no papel de polícia temos de impedir os pilotos de chegarem ao ponto B.

Continua a ser bastante divertido recordar os tempos de Burnout nas perseguições e abalroamentos em que somos destacados. Esta vertente acabou por elevar o jogo a outros patamares, face aos seus congéneres, apresentando a outra face das corridas, o que sempre destacou Hot Pursuit da concorrência.

Após um lançamento bem sucedido em 2010, a Criterion Games, em parceria com a Stellar Entertainment decidiram relançar o jogo, o que por um lado trouxe alegria aos fãs, mas por outro deixa um dissabor relativamente ao conteúdo e à qualidade da remasterização.

Lê mais:  Summer Catchers | Análise

Mesmo na altura em que saiu, e embora seja adorado pela comunidade (igualmente por mim), a condução assemelha-se a uma estrada com manteiga, não deixando sequer um indício de quando é que podemos começar o drift, acabando por manter a mesma sensação de que o carro vai fugir, o que por vezes estraga a experiência.

Obviamente que não devemos esperar uma condução refinada de uma série arcade, mas até que ponto é que nos serve variar de carro se acabam todos por querer fugir da estrada? Isto não seria um problema se fosse o primeiro jogo da equipa, mas qualquer fã da saga sabe bem que a condução já teve o seu pico, e preferiram afastar-se desse pico ao invés de a manter.

A personalização dos carros mantém-se ausente, sendo esta uma mecânica essencial nos títulos da saga (comprovando-se através dos mais galardoados). Não obstante, a variedade de carros é imensa, e pelo menos nesse sentido terão bastantes pérolas para levarem para a estrada.

Uma actualização deveras positiva é a integração do Autolog, um sistema social que mantém progresso de inúmeras informações online como, por exemplo, o progresso dos amigos, o que acrescenta uma camada competitiva ao jogo, e é de louvar que a EA saiba ter aproveitado esta feature, exponenciando-a ao crossplay, sem dúvida uma decisão inteligente.

Para além do Autolog, tivemos claro uma remasterização dos visuais e performance. Não me focando tanto na resolução, nota-se que trabalharam melhor os carros, no entanto, talvez consequência da bagagem temporal do jogo, o cenário acaba por ter alguns momentos em que voltamos à geração da PS3/X360, o que quebra em parte a imersão.

Lê mais:  When The Past Was Around | Análise

Need for Speed: Hot Pursuit Remastered está disponível para PlayStation 4, XBox One, XBox X|S, na Steam para PC e Nintendo Switch.