Aproxima-se a pouco e pouco a grande nova entrada da série de Pokémon: franquia que conquistou corações de todas as idades em todos os cantos do planeta. E de todos eles, Pokémon Sword e Pokémon Shield tem uma peculiaridade notável.

Serão os primeiros jogos da série principal a ser lançados numa consola de casa. Sim, podíamos ficar aqui a discutir a natureza híbrida da Switch, mas o facto de eu poder sentar-me à frente da televisão e jogar é o requisito necessário para poder dizer tal coisa, pelo menos no contexto deste artigo.

(Deixaremos a conversa de bananas e streamings ligadas a portáteis para outro dia, ok?)

DCIM100MEDIADJI_0146.JPG  

Lê mais:  Overcooked! All You Can Eat | Chega em Março às consolas e PC

Aqui na Squared Potato tivemos a oportunidade de jogar uma pequena demonstração deste par de videojogos graças à Nintendo Portugal e aqui deixamos as nossas primeiras impressões.

O foco deste segmento de gameplay, infelizmente, não nos deu oportunidade de explorar as paisagens da região de Galar, mas deu para revisitar um seguimento clássico da série que marcou o seu retorno.

Falo, pois, do regresso dos Ginásios que estiveram ausentes na região de Alola, e cuja presença na Pokémon League era algo recente.

Os trailers lançados nesta vertente, até agora, focavam-se principalmente em batalhas num estádio.

Caso tivesses receio que isso fosse mais uma desculpa esfarrapada para cortar conteúdo, não tens de de preocupar! Nesse aspeto, é mesmo um retorno em toda a sua glória.

vlcsnap_2019_06_11_12h26m48s436.0  

Lê mais:  Lógica da Batata #7 | Locked Down, Pokémon Day, A Avó Saiu do Roupeiro

O ginásio (neste caso o de Nessa, a líder de Água) marca com a presença do clássico recepcionista, vários treinadores e um puzzle simpático à volta de botões coloridos e jactos impassáveis de água.

Era claro que as batalhas aqui apresentadas não seriam as mesmas da versão final: cada treinador tinha só um Pokémon – uns com os tipos óbvios, outros nem por isso.

Mas deu para visualizar o sistema de batalha, que não tem muito que se lhe diga, visto ser já conhecido da malta deste o Blue e Red.

No entanto, é daquelas coisas que quando funcionam bem não devem ser alteradas, sinceramente.

Depois de chegar à entrada norte deste segmento, o nosso treinador veste as suas vestimentas de jogador de football e lutamos contra Nessa.

Aqui é onde vemos a grande novidade: a capacidade de tornar os nossos Pokémon em tamanho colossal e ter batalhas estilo Godzilla.

A denominada Dynamax pode ser usada uma vez durante a batalha, alterando as habilidades dos Pokémon para versões mais poderosas. A líder de ginásio faz o mesmo contra ti, com a hipótese bem provável de levares uma grande abada.

Mas, no fim do dia, é mais uma batalha de Pokémon.

Lê mais:  Mighty Goose | Análise

Sinceramente, esta demo não fez grande trabalho a vender Sword e Shield.

Os modelos e animações seguem a mesmo molde da geração anterior numa resolução melhor, o interior do ginásio é simplista, consistindo de várias plataformas gradeadas a flutuar no vazio, e os monstros de bolso continuam a ser os típicos monstros de bolso como manda a tradição.

Acho que se me fosse dada a oportunidade de passear pelas paisagens de Galar com foco na sua câmara livre, ou a oportunidade de participar numa raid com outros jogadores, onde Dynamax realmente se pudesse destacar, seria uma experiência mais sedutora.

A ideia com que fiquei, no fim de isto tudo, é que isto é mais um Pokémon e nada mais.

Parece-me que vai ser uma experiência agradável para quem pegar no jogo num prisma mais relaxado, mas algo um pouco mais desapontante para os mais aficcionados.

Talvez tenhamos a revelação de alguma surpresa mais agradável na versão final, nem que se trate de enredo (a tradição manda que quando se revela o campeão cedo, é porque há marosca).

Mas de momento a ideia que paira nos meus pensamentos é que os esforços reais da Game Freak desta geração se encontram na sua nova franquia Town, e não neste velhinho clássico.

Se todos nós tivermos sorte, estarei redondamente errado.

Sou um mago vermelho da cromice, sou fanático de todos os média mas mestre em nenhum. No entanto os meus pontos estão alocados principalmente para os videojogos. Ao contrário do que é esperado da minha laia, eu adoro o ar livre, principalmente do campo. Adoro esticar as minhas pernas e apanhar muito sol... Será que algum dia vou conseguir a minha promoção para feiticeiro vermelho?