O voluntariado é uma actividade, como a palavra diz, voluntária. O facto de se fazer algo de livre vontade para ajudar as outras pessoas é algo que todas as pessoas deveriam fazer pelo menos uma vez. No meu caso, uma das experiências de voluntariado que mais prazer me deu, foi trabalhar no Iberanime.

Depois de ter visitado as edições anteriores do Iberanime, decidi inscrever-me no voluntariado, e a experiência que tive levou-me a repetir o feito. Preferi muito mais ir como voluntário, do que como um visitante normal. Conheci imensas pessoas novas, tanto participantes como outros voluntários, falei nos bastidores com alguns convidados e cosplayers, bem como pude ajudar a organização a tornar possível este evento. Criei mais memórias com estas pessoas que nunca conheci antes, do que nos dois anos em que fui com um grupo de amigos. 

Posso contar-te duas histórias engraçadas que me aconteceram. No primeiro ano em que fui voluntário, eu fiquei destacado para o “palco secundário”. Basicamente quando se queriam inscrever para nos jogos, no karaoke e nos concursos, tinham de vir ter comigo. Como já disse antes, fiz alguns amigos com esta experiência, até porque haviam pessoas que ficavam perto do palco, e por começávamos a falar. Nessa feita, havia um rapaz e uma rapariga que estavam sempre juntos, mas quando foi a altura de se inscreverem nos concursos, um deles esqueceu-se de o fazer. Como eu era o encarregado dos inscritos, fui ter com o meu “superior” e disse que foi um lapso da minha parte, e que ele realmente se tinha inscrito. Lá conseguimos que o rapaz entrasse no concurso (já nem me lembro qual era o concurso), e surpresa, não é que foi ele que o ganhou?!  

Mais tarde, num outro concurso, acho que desta vez foi o concurso de comer noodles, faltava-nos um participante. Para resolver essa situação, eu praticamente “empurrei” a rapariga para participar, dizendo que ela tinha se inscrito. Ela estava com vergonha, mas tal como aconteceu com o rapaz, chegou lá e ganhou!! No final de tudo, ambos vieram ter comigo e agradeceram-me, dando-me um montão de abraços.  

Outra situação que me aconteceu, foi no final do primeiro dia, quando já não haviam visitantes no recinto. Os voluntários tinham as suas mochilas e malas guardadas num balneário, que só se abria com umas chaves da coordenadora. No entanto, um dos voluntários ao ir-se embora deixou a chave do lado de dentro, fazendo com que mais ninguém pudesse entrar. Bem, tivemos que esperar umas 2 horas até que viesse um serralheiro abrir a porta, mas, entretanto, fomos passeando pelo evento, até que chegamos a uma banca de “snacks”. Como o dia já tinha acabado, a senhora ia deitar uma bandeja de comida para o lixo, mas deteve-se ao reparar na nossa situação, e ofereceu-nos a comida e mais uns doces a todos nós. Depois de termos o nosso lanche, fomos alguns para a “piscina” (era uma espécie de piscina, mas com quadrados de espuma) e ficámos la todos a comer e a falar uns com os outros. As duas horas passaram se num instante, porque mais uma vez foram feitas amizades do nada, e conheci pessoas bem interessantes. 

Iberanime

Estas foram duas das muitas histórias que mais me marcaram desta experiência de ser voluntário num evento desta envergadura. A primeira, porque tirando os 3 (e agora tu que também sabes disso), mais ninguém soube do que se passou, e da surpresa que foi ambos terem ganho os concursos, mas assim de repente fiz amizades. A segunda, porque na altura em que tivemos aquele percalço, já não se encontravam visitantes no recinto, só os trabalhadores e os voluntários, pelo que tínhamos o evento todo para nós. 

Quando fomos a uma reunião, para preparar os voluntários, ainda me lembro das palavras que a nossa coordenadora usou:

Tentem que a experiência das pessoas passe de boa, para melhor ainda.

Foi isso que tentei fazer, e penso que consegui cumprir com esse objectivo. De uma maneira mais significativa ou mais subtil, eu tentei que todos ficassem a gostar mais do Iberanime, porque foi dos eventos que mais me marcou até a data e quis apoiá-lo.

E isto que leram foi a experiência de um único voluntário, imagina agora as historias que todos os voluntários devem ter! Se nunca fizeste voluntariado, compartilho estas minhas experiências para que te inspirem.