Se pensam que Sword Art Online foi a série pioneira de alguém ou um grupo ficar preso num jogo MMO (Massively Multiplayer Online Game), vamos descobrir ou redescobrir que no início deste milénio existiu uma série com a mesma premissa, mas com uma execução completamente diferente.

.//hack sign leva-nos até a um imaginativo ano de 2005. Neste ano, um poderoso vírus de computador, chamado Pluto’s kiss invadiu a Internet e quase destruiu-a por completo. Dois anos mais tarde, mas com mesma restabelecida, surge um grande MMORPG, ambientado num mundo medieval chamado The World. Este imediatamente torna-se num grande sucesso, e as pessoas passaram a viver parte do seu quotidiano neste, tornando-o no hobby principal de toda a humanidade. Nesta realidade conhecemos um avatar de jogo chamado Tsukasa, da classe Wavemaster., pensem a algo semelhante a um Black Magician/Summoner, Mimiru uma energética Heavy Blade, e Bear um Blademaster. Juntos tentam descobrir a verdadeira identidade do mago, que não consegue desconectar-se da rede do jogo e quais os mistérios dos mesmo.

Ao contrário de anime MMO recente, .//hack sign, desenvolve-se a um ritmo muito pausado. São atiradas dezenas de informações, quer falsas, como verdadeiras, e só mesmo no final ficamos a conhecer a verdadeira natureza dos acontecimentos decorrentes de toda a jornada. O desenvolvimento de personagens foi muito bem conseguido. Tsukasa e o seu grupo foram criados com base em classes estereotipadas, porém as suas personalidades diferem do esperado, muitas das quais sofrem diversas alterações ao longo dos seus 26 episódios.

A nível técnico a obra da Beetrain não desaponta, mesmo que fosse pincelada com visuais digitais primários (agora um pouco datados) foram bons e funcionais para o seu tempo. Respeitante à banda sonora a mesma é fantástica, lanço destaque para a contagiante abertura e o calmo e sereno encerramento ambientado em tons celtas, uma constante em outros temas entre a série.

.//hack sign teve transmissão portuguesa no canal Animax, diversos jogos para PS2 em formato episódico, e inspirou diversos spinoffs e desenvolvimento em obras, tais como Ragnarok Online, Sword Art Online ou recente Infinite Dendrogram.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome