A Impossibilidade de estar só | Laura Dutra e Bruna Quintas Interpretam Dupla de Protagonistas

Em A Impossibilidade de estar só, o conceituado realizador Sérgio Graciano aponta a câmara ao jovem talento português, com Laura Dutra e Bruna Quintas a interpretar a dupla de protagonistas nesta longa-metragem, que chega aos cinemas a 6 de Agosto.

Alice (Bruna Quintas) e Fred (Laura Dutra) são as melhores amigas, têm a mesma idade, mas não podiam ser mais diferentes. Enquanto Fred é forte, destemida, rebelde, Alice vive isolada, desde que nasceu, entre as quatro paredes da sua casa para se proteger de uma grave doença imunodeficiente. Pela internet tem acesso a um pouco do mundo lá fora, e dessa forma conhece João, que a desafia a encontrarem-se em Porto Covo. É o 20º aniversário de Alice, um ponto de viragem na sua vida e, com a amizade de Fred, o início de uma aventura irrepetível.

A Impossibilidade de estar só é protagonizado pelas promissoras actrizes Bruna Quintas e Laura Dutra, que tinham já contracenado em televisão em Valor da Vida. De momento a participar em Terra Brava, Bruna Quintas, de 22 anos, fez parte do elenco de Dancin Days e de Os Filhos do Rock na televisão, e trabalhou com Sérgio Graciano em País Irmão, A Criação, no filme Linhas de Sangue e ainda na série Filha da Lei que está apenas disponível no Amazon Prime Americano. Para Laura Dutra, de 21 anos, esta é a estreia em cinema, depois de ter participado em Rainha das Flores e Paixão, integrando actualmente o elenco de Nazaré.

Sérgio Graciano tem já uma longa carreira em cinema e televisão. Na sua primeira longa-metragem, Assim Assim (2010), o realizador assegurou um elenco de luxo que incluiu nomes como Rita Blanco, Miguel Guilherme, Margarida Carpinteiro, Albano Jerónimo e Nuno Lopes. Seguiu-se Uma Vida à Espera (2016), filme com o qual venceu o Prémio do Público na 8ª Edição do FESTin Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa. Em 2017 dirigiu Perdidos, um remake de Armadilha em Alto Mar, e em 2018 realizou com Manuel Pureza o incontornável Linhas de Sangue, reunindo 54 caras conhecidas da televisão e cinema português.

No seu galardoado percurso em realização para televisão, destacam-se o Emmy Internacional na categoria de Melhor Telenovela com Laços de Sangue em 2011, e o Prémio Autores, da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), na categoria de Melhor Programa de Ficção em Televisão com O Último a Sair em 2012.

Também Maternidade no ano seguinte, Coração D’Ouro em 2016 e País Irmão em 2018 foram distinguidos pela SPA com a nomeação para este prémio. Já na competição norte-americana da International Academy of Television Arts and Sciences, da qual Sérgio Graciano fez parte do júri na edição de 2015, recebeu nomeações pelos trabalhos de ficção para a televisão angolana Windeck em 2013 e Jikulumessu em 2015.

Poster-ImpossibilidadeDeEstarSo

Sinopse de A Impossibilidade de estar só

Alice tem 20 anos e vive confinada desde que nasceu, altura em que lhe foi diagnosticada uma doença imunodeficiente grave combinada. O seu sistema imunitário é muito fraco, pelo que a única solução para a manter viva, é estar num ambiente seguro e protegido: a sua casa. Fred (20) é a sua melhor e única amiga e é através desta que Alice vive. Os namorados que nunca teve, as saídas à noite, as idas à praia, o primeiro amor, o primeiro desgosto… Tudo o que sente e experiência é através de Fred. Fred é o seu oposto: forte, destemida, rebelde. Não tem medo de nada, não lhe falta nada.

Quando Alice faz vinte anos e recebe o convite de João, um rapaz que conhece pela internet, para ir ter com ele a Porto Covo, vacila. A vontade está lá mas a sombra do impossível que a acompanha desde sempre, também. Mas Alice decide não querer esperar mais por um dador que pode nem aparecer. Quer começar a viver… E aos 20 anos renasce quando convence Fred a levá-la até Porto Covo para conhecer o primeiro amor da sua vida. As duas adolescentes começam uma viagem sem retorno e depois desta, as suas vidas não voltarão a ser as mesmas.

A produção de A Impossibilidade de estar só é da Caos Calmo Filmes e Coyote Vadio, com argumento de Joana Andrade e estreia nas salas de cinema nacionais a 6 de Agosto.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.