A Walt Disney Studios adquiriu os direitos de distribuição mundial do documentário sobre os Beatles, do aclamado cineasta Peter Jackson. O documentário vai mostrar a relação, camaradagem e o humor à volta da produção do lendário álbum da banda, “Let It Be“, e o seu último concerto ao vivo enquanto grupo, com a icónica apresentação no terraço do Savile Row, em Londres.

The Beatles: Get Back será lançado pelos estúdios da Walt Disney nos Estados Unidos e no Canadá a 4 de Setembro de 2020, e mais tarde serão reveladas as datas de lançamento do documentário noutros países. O anúncio foi feito por Robert A. Iger, Presidente Executivo da The Walt Disney Company, na reunião anual de accionistas da Disney.

“Nenhuma banda teve o impacto mundial que os Beatles tiveram e The Beatles: Get Back é um lugar na primeira fila para ver como é que estes génios criadores trabalharam num momento crucial na história da música, com imagens espectacularmente restauradas que parecem ter sido filmadas ontem”, diz Iger sobre o anúncio. “Sou um grande fã, então não poderia estar mais feliz com o facto da Disney partilhar o impressionante documentário de Peter Jackson com o público em Setembro”.

The Beatles: Get Back, apresentado pela The Walt Disney Studios, em parceria com a Apple Corps Ltd. e a WingNut Films Productions Ltd., é uma emocionante nova colaboração entre os Beatles, a banda mais influente de todos os tempos e o cineasta vencedor de três Óscares, Peter Jackson (triologia O Senhor dos Anéis).

Com mais de 55 horas de cenas inéditas, filmadas por Michael Lindsay-Hogg em 1969 e com 140 horas de gravações musicais inéditas das sessões para “Let It Be“, The Beatles: Get Back é realizado por Peter Jackson, que é também produtor ao lado de Clare Olssen (Eles Não Envelhecerão) e Jonathan Clyde, com Ken Kamins e Jeff Jones, da Apple Corps, como produtores executivos.

Lê mais:  Disney + | Data e Detalhes do seu Lançamento em Portugal

As filmagens foram brilhantemente restauradas pela Park Road Post Production, de Wellington, Nova Zelândia, e estão a ser editadas por Jabez Olssen, que colaborou com Jackson em Eles Não Envelhecerão de 2018, o filme inovador que apresentou imagens de arquivo da Primeira Guerra Mundial de forma renovada e colorida.

A música do filme será trabalhada por Giles Martin e Sam Okell, nos Abbey Road Studios, em Londres. Através desse impecável restauro, The Beatles: Get Back vai criar uma experiência viva, alegre e imersiva para o público. Peter Jackson diz mesmo:

“Trabalhar neste projecto foi uma alegre descoberta. Tive o privilégio de ser uma mosca na parede, enquanto a maior banda de todos os tempos trabalha, toca e cria obras de arte. Estou emocionado pelo facto da Disney se ter tornado a nossa distribuidora. Não há ninguém melhor para termos o nosso filme a ser visto pelo maior número de pessoas .”

Paul McCartney também nos fez chegar a sua emoção com este projecto ao declarar:

“Estou muito feliz por o Peter ter remexido nos nossos arquivos para fazer um filme que mostra a verdade sobre a gravação dos Beatles enquanto grupo. A amizade e o amor entre nós foi revivido e lembram-me o tempo maravilhoso que passámos.”

Ringo Starr também não ficou de fora:

“Estou realmente ansioso por este filme. O Peter é óptimo e foi muito bom ver todas essas filmagens. Havia horas e horas nossas só a rir e a tocar música, nada parecidas com a versão que saiu anteriormente. Houve muita alegria e acho que o Peter vai mostrar isso. Acho que esta versão será muito mais tranquila e carinhosa, tal como realmente éramos.”

The Beatles: Get Back também está a ser produzido com o apoio de Yoko Ono Lennon e Olivia Harrison.

Embora o filme original “Let It Be”, realizado por Michael Lindsay-Hogg, e o álbum que o acompanha tenha sido filmado e gravado em Janeiro de 1969, não foram lançados até maio de 1970, três semanas após o término oficial dos Beatles.

Lê mais:  RAYA E O Último Dragão | Primeiro Trailer da nova animação da Walt Disney

A resposta ao filme na época por parte do público e da crítica estava fortemente associada a esse anúncio. Durante o intervalo de 15 meses entre as filmagens de “Let It Be” e o seu lançamento, os Beatles gravaram em estúdio o seu último álbum, “Abbey Road”, lançado em Setembro de 1969.

Filmado em 16mm e ampliado para 35mm, o filme de 80 minutos “Let It Be” foi construído em torno das três semanas de filmagens, incluindo uma versão editada do concerto no terraço. O álbum “Let It Be“, vencedor de um GRAMMY, foi líder nos EUA e no Reino Unido.

O novo documentário traz à tona muito mais sessões de gravação íntimas da banda feitas para “Let It Be” e toda a sua performance de 42 minutos no terraço do escritório da Apple, em Savile Row London. Embora não haja escassez de material da extensa digressão dos Beatles no início das suas carreiras, The Beatles: Get Back apresenta as únicas imagens ​​da banda a trabalhar no estúdio, onde se podem ver John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr enquanto criam as suas músicas do zero para os clássicos dos dias de hoje, a rir, a brincar e a tocar para a câmara.

Filmado a 30 de Janeiro de 1969, o concerto surpresa dos Beatles no último piso marcou a primeira apresentação ao vivo da banda em mais de dois anos e o seu último espectáculo ao vivo. As imagens capturam interacções entre os membros da banda, reacções de fãs e de funcionários de empresas próximas e tentativas cómicas de interromper o concerto por dois jovens polícias de Londres, em resposta a reclamações de barulho.

Uma versão totalmente restaurada do filme original “Let It Be” vai ser disponibilizada posteriormente.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.