Cinema Português | Faz-me Companhia Marca o Regresso às Salas de Cinema

O filme Faz-me Companhia de Gonçalo Almeida, é o filme que marca o regresso do cinema português ao grande ecrã. Com estreia agendada para 2 de Julho, a primeira longa-metragem do realizador teve a sua estreia no festival de cinema de terror MOTELX, onde esteve em competição para Melhor Longa de Terror Europeia/’Méliès d’Argent’.

Sinopse Faz-me Companhia

Protagonizado pelas actrizes Cleia Almeida e Filipa Areosa, e com uma breve participação especial de Eunice Muñoz, Faz-me Companhia representa as diferentes facetas de Gonçalo Almeida, num triângulo amoroso entre duas mulheres e um fantasma. Uma história de mistério que começa, quando Sílvia (Cleia Almeida) aluga uma casa para o fim-de-semana no sul de Portugal, com a intenção de se encontrar com Clara (Filipa Areosa), a sua amante secreta. Entre mergulhos na piscina e banhos de sol, o fim-de-semana perfeito a dois começa a ser perturbado por um mal misterioso. À medida que o filme avança, estranhos eventos ocorrem na casa, causando um impacto permanente na relação e na vida destas duas mulheres.

Em Faz-me Companhia, o realizador explora o formato clássico do filme de género e da ficção surreal, invocando o sentimento de medo e angústia através de acontecimentos triviais, aparentemente inofensivos, numa narrativa que deambula entre a negação do real e a estreita realização do horror.

Vencedor do Prémio MOTELX para curtas metragens em 2017, com Thursday Night – a curta seleccionada para a competição do Festival de Cinema Independente de Sundance, nos Estados Unidos, no mesmo ano, Gonçalo Almeida vê no cinema de terror um género que permite expressar melhor as ideias, usando elementos para representar um sentimento de forma visual, como espelho das angústias humanas.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.