O anime de 1995 Gotou ni Naritai (também conhecido por 5-tou ni Naritai ou Run), foi realizado por Mei Katô, produzido pela Tama Production e distribuído pela Eleven Arts.

História

Gotou ni Naritai é sobre uma menina que nasceu com uma perna má. Ritsuko anseia por ir à escola e fazer muitos amigos, mas não é fácil. A sua mãe é muito protectora e na escola ela é maltrada pelos seus colegas de turma devido à sua estranha maneira de andar. Será que ela consegue manter o seu sorriso?

Visualmente, Poderia Estar Melhor

Gotou-ni-Naritai-5  
Considerando que Gotou ni Naritai foi feito em 1995, a animação é claramente bastante subpar, na melhor das hipóteses.
No entanto, os animadores fizeram um grande trabalho ao darem a cada personagem um olhar distinto e, mais uma vez, dando-lhes falhas físicas, como obesidade, olhos pequenos e dentes grandes.
Um problema que eu noto hoje em dia em muitos novos anime é que cada personagem não tem o seu estilo próprio. Todos têm a mesma aparência, excepto com diferentes estilos de cabelo, cores de cabelo e de olhos, o que é especialmente visível em muito harem e moe anime. Não só isso, eles são tão obcecados pela beleza que não têm falhas físicas, como dentes grandes, aparelho, acne, ou qualquer outra coisa parecida!

As Personagens Sobressaem

Gotou-ni-Naritai-6  
Mais uma vez, como nos outros dois filmes sobre deficiências, as personagens são fantásticas, realistas e maravilhosamente desenvolvidas. Apesar de parecerem e agirem de forma um pouco genérica, não são estereótipos, e há sempre uma razão por detrás das suas acções.
Gotou ni Naritai aborda a questão do amor, ódio, ciúme e aceitação, e segue maravilhosamente estes temas. Os dois principais bullies que se metem com Ritsuko têm as suas razões para serem tão cruéis reveladas. As crianças são personagens grandes e perfeitamente normais. Os adultos também são bons, mesmo que alguns deles possam ser um pouco estranhos.

Alguns Defeitos a Apontar

Gotou ni Naritai  
Se tivesse de mencionar alguns problemas que Gotou ni Naritai tem, um notável seria que, por vezes, fica um pouco melodramático demais, particularmente com a mãe de Ritsuko e como ela reage aos valentões.
Mas neste caso, justifica-se porque a mãe de Ritsuko é retratada como uma pessoa superprotectora, e Ritsuko tem vergonha das suas acções imprudentes (Ei, que criança NÃO tem vergonha das coisas que os pais fazem a dada altura?). Por isso, posso deixar passar.
Além disso, embora eu goste do médico da Ritsuko por apoiá-la tanto, estou muito confusa: pessoas cegas podem ser médicas? Ou ele é apenas um terapeuta? Eu não faço ideia, mesmo com as legendas! É permitido aos cegos serem terapeutas?

Conclusão

Mesmo com as suas falhas óbvias, ainda assim gostei de Gotou ni Naritai. Infelizmente, os outros dois filmes sobre deficiências, My Sister Momoko e Happy Birthday: Inochi Kagayaku Toki, são mais do que isso e sobressairam. No entanto, este não deve ser negligenciado.
E, com este anime, damos por concluída a rúbrica Filmes sobre Crianças com Deficiência! (Por agora…) Espero que tenham gostado e que possa ter ajudado a verem a diferença numa nova luz.

O que achaste? Conheces alguma história real parecida à de Ritsuko?