O terceiro dia do Rock in Rio Lisboa recebeu 60 mil pessoas, que assistiram ao jogo Portugal-Turquia nos ecrãs do Palco Mundo, Galp e Tejo, e à grande estreia em Portugal dos Jonas Brothers.

Num concerto memorável e que ficará para a história, a banda de pop rock americana trouxe uma enchente de fãs que cantaram em êxtase “Waffle House”, “Cake By The Ocean” e “Sucker”. Unida pelo amor, uma plateia igualmente cheia vibrou com o rapper norte-americano Macklemore, que trouxe temas como “Thrift Shop”, “Same Love” e “Can’t Hold Us”. “Macetando”, Ivete Sangalo, voltou a receber uma plateia cheia que cantou cada um dos grandes êxitos da rainha do Rock in Rio, incluindo “Tempo de Alegria”, “Abalou”, “O Mundo Vai” e “Só Love”. E cumprindo um sonho de criança, Carolina Deslandes pôs uma multidão a cantar em uníssono “A Vida Toda”, um dos seus hits mais marcantes.

No Palco Galp, o terceiro dia do Rock in Rio Lisboa foi marcado por outros tantos momentos inesquecíveis. Leigh-Anne estreou-se a solo em Portugal, os James voltaram a ser recebidos por uma plateia cheia a provar que a relação que têm com o público português e do festival se mantém inabalável; e aumentando ainda mais o ritmo, a fechar a noite, Kura continuou a festa como tão bem sabe fazer.

O Palco Tejo arrancou com os Fonzie, que com o rock que já lhes conhecemos há quase 30 anos, mostraram que continuam a levar o público ao rubro; seguiu-se o concerto histórico dos Ornatos Violeta, com a comemoração dos 25 anos do icónico segundo álbum “O Monstro Precisa de Amigos”, ao lado de Ana Deus, Gisela João, Samuel Úria e o quarteto de cordas Solistas da Casa da Música; o Palco Tejo fechou com o “príncipe do pagode” Dilsinho, pela primeira vez no Rock in Rio Lisboa, que trouxe os ritmos quentes do Brasil e ergueu a camisola 7 da Seleção Portuguesa.

Já o Super Bock Digital Stage recebeu a banda do filme Mamonas Assassinas – O Legado, que teve casa cheia ao rubro, o SAPO Half Time Show que contou com Tripeirinha, Tiago Bandeira, Rui Pedro Silva e Afonso Santos, bem como os sketchs humorísticos de Ana Arrebentinha e dos Cubinho, além das típicas festas Viagem dos 20 Anos Rock in Rio e Digituga Portugal Virtual, que são sempre o chef’s kiss do palco mais digital do Rock in Rio Lisboa. Recorde-se que a 10ª edição do Rock in Rio Lisboa decorre ainda amanhã, dia 23 de junho, mais um dia esgotado na nova Cidade do Rock, no Parque Tejo Lisboa, onde os fãs vão ser transportados para uma experiência única e memorável cheia de animação, música e entretenimento de qualidade.

Em Portugal, foram realizadas, até hoje, nove edições e dos 44 dias de festival já passaram pela Cidade do Rock de Lisboa mais de 3 milhões de pessoas e mais de 1.100 atrações musicais. O festival investiu mais de 225 milhões de euros, gerou mais de 87 mil empregos (diretos e indiretos), alocou cerca de 5,6 milhões de euros para causas socioambientais e promoveu inúmeras ações, entre as quais a instalação de painéis fotovoltaicos em escolas, projeto de reflorestação de floresta ardida, equipar hospitais e IPSS, construção de salas sensoriais para jovens, entre outros.