Atenção senhores passageiros, próxima paragem: Get on Board: Paris & Roma, ao sair na próxima estação, tome atenção à distância entre o comboio e a plataforma.

Pois é Potatos! Get on Board recebe uma nova edição que em estilo de prendinha no sapatinho, foi mesmo um miminho que a Devir nos concedeu para as nossas noites de Natal e Ano Novo na Squared Potato, e agora é finalmente altura de te trazer o que estivemos a preparar para esta análise.

Antes de mais, para enquadrar este lançamento tenho de falar-te da edição anterior: Get on Board: New York & London, também distribuído em Portugal pela Devir, embora já tenha sido publicado em meados de 2022. Como podes constatar tanto uma edição como outra trazem-nos, portanto sempre 2 cidades, o que é bem jogado dado que é a desculpa perfeita para trazerem para a mesa dois mapas que podem ajudar a estender a sensação de novidade para o jogador, bem como a ajudar as regras de cada mapa para criar sessões mais justas para um volume diferente de jogadores na partida. Ou seja, se são poucos jogadores, utilizem o mapa A, se são muitos o mapa B. Igualmente nessa primeira edição, o tema prende-se na temática dos transportes públicos, e desafia os jogadores a construírem o seu trajecto, definindo assim o que viria a torna-se o conceito central de toda a franquia. 

Nisto agora começam as comparações, sendo que ao passo que na 1ª edição e muito bem, temos de traçar linhas de autocarro para circularmos nas grandes metrópoles onde esses veículos são de facto um destaque turístico, no jogo que te trago hoje, olhamos mais para os metros-suburbanos em 2 cidades onde a temática do romancismo e os seus famosos mapas de metro estão agregados. Pegando nisto, e já olhando para o futuro, talvez possamos mesmo sonhar com uma futura edição em que Lisboa possa se destacar com os seus emblemáticos eléctricos, o que não surpreenderia mesmo ninguém, e bem que conheço quem se gabe de vir a Portugal comprar modelos (escala reduzida) para expor em sua casa as nossas belas peças de maquinaria nacional. Enfim, Saashi, Monsieur Z, criador e ilustrador respectivamente, pensem no assunto, prometem? 

Geralmente escrever sobre jogos de tabuleiro deixa-me com sérias dificuldades em saber por onde começar, para não desbobinar tudo ao mesmo tempo, até porque tu próprio reconhecerás que a melhor forma de te dar a conhecer um jogo, é jogando-o, mas neste caso foi bastante simples. Ora comecemos da mesma forma como nos iniciamos em qualquer jogo de tabuleiro: pelo manual. Nisto eu não posso ser mais explícita, em quase 30 anos, acho que nunca me passou pelas mãos um manual que fosse tão claro, directo, e prático, ao ponto de dar-te a mão e guiar-te passo a passo no que tens de fazer para iniciares a tua primeira partida, lançares-te à tua primeira jogada, e saberes porque é que estás a fazer as ações que estás a fazer no teu turno. Transparência total, foi mesmo muito fácil seguir o manual e saltar logo para uma gestão autónoma da partida. 

Sendo que o mesmo veio com uma versão em português de Portugal e outra em espanhol, creio que seja fácil 2 jogadores partirem nesta aventura, ainda para mais não tendo notado grandes lapsos gramaticais, campo em que a Devir vem em muito a progredir.

Para quem olha a primeiramente de relance para a quantidade de peças neste jogo, a diversidade das mesmas pode despoletar alguma ansiedade, nomeadamente parecendo deter mecanismos de dificuldade mais complexos do que realmente são. De facto, não olhes para a quantidade de peças, embora depois percebas que não é assim tanta coisa para gerir, sendo este um jogo até bastante straight-forward e até rápido na minha opinião. Ao fim dos primeiros turnos, tu e os teus amigos já serão mesmos capazes de fazer jogadas bastante rápidas e estratégicas, e à segunda sessão de jogo creio que estejam totalmente inteirados dos limites que regem os vossos movimentos em Get on Board: Paris & Roma.

De forma muito simples e direta, tudo se resume primeiramente a virar uma carta, das 12 cartas disponíveis, no início de cada turno. Depois, tens de fazer corresponder o número que aparece nessa mesma, a um novo troço na tua linha de metro em cima do tabuleiro, cuja configuração e disposição de novas peças já está pré-definida numa folha de papel que cada jogador tem à sua frente. Cada jogador terá uma folha diferente onde as configurações e correspondências às 12 cartas serão diferentes, e é nesta mesma folha que poderão anotar os passageiros, locais, pontos de objetivos, que passam a conquistar com este novo troço. Chegado ao final da partida, somam-se os pontos e ganha o jogador que mais contabilizar.

Claro está que para cada tipo de passageiro, locais, objetivos, as regras para pontuar são diferentes. Há, por exemplo o caso dos namoricos, que tens de apanhar e levar para os locais, turistas que querem visitar pontos de interesse, velhotas que querem governar vida, e mais não digo para descobrires em Get on Board: Paris & Roma. Isto acrescenta uma dose de adrenalina à diversidade estratégica, o que te alicia a criares planos B, C e D para a tua jornada. Contudo, é também de salientar que no mundo dos transportes, todos ganhamos quando jogamos juntos, portanto, temos algumas missões cooperativas em cima do tabuleiro. No entanto, é somente essa a única mecânica cooperativa, sendo tudo o resto mais competitivo entre jogadores. 

Em termos estéticos, Monsieur Z utiliza em Get on Board: Paris & Roma uma estética de ilustrações que se simulam “recortadas” sobre o fundo, que creio provir das típicas colagens de autocolantes de viagem, no entanto, é um estilo que não se aventura em explorar em demasia. Apesar do bom cuidado a conferir caráter às personagens-tipo não ser de se menosprezar, creio que o que saltará mais à vista será contudo a paleta. As cores são apaixonadas pelo amarelo torrado / alaranjado de fundo, e coexistem com apenas um tom de azul e de verde a fugirem deste calor cromático mas igualmente em total harmonia.

Em termos de material, o jogo traz-nos: 2 manuais; 1 tabuleiro onde temos uma cidade em cada face do mapa, para grupos de jogadores de maiores e menores dimensões explorarem; 5 conjuntos de  32 peçinhas de madeira de cores diferentes com a respetiva peça de início; 1 marcador de madeira para o jogador do turno; 6 cartas de objetivos cooperativos; 5 cartas de objetivos pessoais; 12 cartas numeradas para as configurações dos troços que vão ter de traçar; Para além disto tudo, ainda temos direito a um bloco onde cada jogador irá assinalar os seus passageiros e locais, demarcar os objetivos conquistados, etc. e ainda temos direito a lápis (estilo os do IKEA) para todos os jogadores poderem jogar na hora, sem se preocuparem com esses materiais riscadores. 

Nisto é praticamente impossível não vos trazer para comparação a versão portátil do My City que também aqui analisámos. Nisto tanto as folhas do bloco como os lápis são praticamente da mesma qualidade, ou seja, alta gramagem para que possas apagar e reaproveitar melhor o papel se não riscares com muita força. E já que trouxe este exemplo para a mesa, queria também traçar aqui uma introspecção que, sendo ambos jogos que podes pegar e levar para qualquer lado, facilmente portáteis; que é só abrir e jogar, sinto que ao passo que com My City me diverti mais a jogar em duelos com a minha cara-metade, em Get on Board: Paris & Roma sinto que há muito mais espaço para partidas e diversão em grupo.

Agradecemos à editora por nos ceder uma cópia do jogo.

CONCLUSÃO
Entusiasmante!
8
Joana Sousa
Apaixonada pelo mundo do cinema e dos videojogos. A ficção agarrou-me e não me largou mais! A vida levou-me pelo caminho da Pós-Produção, do Marketing e da organização de Eventos de cultura pop, mas o meu tempo livre, dedico-o a ti e à Squared Potato.
get-on-board-paris-roma-analiseGet on Board: Paris & Roma dá-te a mão desde a primeira partida para uma emocionante jornada onde o desafio é criares a tua linha de Metro, atingindo o maior número de objectivos concluídos possível. Apanha passageiros com interesses amorosos, ou ajuda os turistas que procuram apenas uma passagem rápida pela cidade até aos seus pontos de interesse. Desafia-te a isto e a muito mais!