Um dos primeiros jogos que me recordo de jogar no PlayStation VR, e quer me parecer que este também é o caso de todos os jogadores que tem este equipamento, foi o PlayStation VR Worlds. Um jogo que, detendo modos de jogo pequeno, dá-nos todo o escopo das capacidades do headset de realidade virtual da PlayStation. Ora, entre todos os seus modos, quer me parecer que a opinião é unânime: o London Heist é o único que realmente capta o jogador numa atmosfera de total imersividade, e brilha pela sua interacção com o mundo virtual.

Com isto, ver todo este potencial e não ter na biblioteca nenhum jogo que o explorasse a fundo, era doloroso. Por mais que repetisse o London Heist, a magia ia desaparecendo. No entanto, eis que a Sony ouviu a comunidade, e decidiu criar um jogo totalmente feito com base na experiência dos jogadores, no tão aclamado modo do PS VR Worlds. O resultado? O jogo que te trago hoje, pelas mãos da PlayStation Portugal. Blood & Truth é portanto um shooter com mecânicas de stealth e em FPS, desenvolvido pela Sony Interactive Entertainmet de Londres em exclusivo para o PS VR.

Lê mais:  The Last of Us Parte II | Vê Aqui o Video de Jogabilidade "Inside The Gameplay"

História

Cheia de conspirações e reviravoltas, acção e balas contadas, a história de Blood & Truth é focada numa rede de máfias e organizações que operam nas sombras da sociedade. No meio desta rede, está o ramo “empresarial” da nossa família, qual se vê abalado com a morte do nosso pai. A nossa personagem, Ryan Marks, um soldado das Forças Especiais, recebe esta informação em plena missão de campo, e logo é lhe dada a dispensa para se juntar à sua família no funeral. A partir daí, Ryan e companhia sofrem sob pressão das ameaças daquele que aspira ser o próximo grande chefe do crime por estas ruas. O mesmo, procura absorver todas as influências da nossa família, sem se importar com o sangue que terá de derramar pelo caminho.

Sem querer estragar a experiência a ninguém, para que possas desfrutar desta história ao máximo, só quero deixar em nota que esta é das aventuras VR com o maior enredo que já joguei até agora! Foram várias as vezes em que pensei que estava a chegar ao fim desta aventura, tendo em atenção a duração média dos jogos que tenho experimentado em RV, e fiquei surpreendida ao descobrir que só agora é que uma nova etapa se desembrulhava. Este é de facto um jogo que te irá manter entretido durante muitas horas, e a sua história é profunda e cativante o suficiente para manter aquela sensação de novidade a cada cenário.

Blood & Truth

Lê mais:  The Last of Us Parte II | Participa no Passatempo com o Tema "Through The Valley"

 

Jogabilidade

Blood & Truth, apesar de ser um jogo cheio de acção, é também um jogo de algum stealth. Digo isto, porque volta e meia acabas a distribuir balas para todos os lados e para tudo o que se mexe. Mas o stealth em si, engloba sobretudo a principal mecânica de movimento aqui presente. Esta funciona da seguinte maneira. O jogador olha para um sítio onde possa fazer cover, e com o pressionar de um botão, a nossa personagem dirige-se para essa posição. É algo um pouco diferente do típico tele-transporte, e sinceramente como disse na análise do Fujii, não sou grande fã deste tipo de locomoção em VR. Pelo que também aqui senti que isto quebra a imersão, e essencialmente, não é nada apelativo na minha óptica ter neste jogo um leque de opções limitadas para onde me posso mover. É claro que conseguimos mexer-nos no espaço enquanto a PlayStation Camera faz tracking da nossa posição, mas nunca podemos andar livremente a explorar o cenário.

À parte desse detalhe, temos em contrapartida uma imensa interactividade com o mundo em que nos inserimos. Sendo que podemos mexer em muitos objectos, fazer diversos tipos de interacções, e ainda temos também imensas armas e ferramentas ao nosso dispor. Estas últimas, providenciam-nos com quebra-cabeças, onde temos de pensar nos circuitos que queremos abrir ou fechar para desbloquear as passagens que nos impedem de progredir.

Se no Skyrim achavas um pouco frustrante o lock pick, aqui também tens as mesmas ferramentas que de uma forma mais simples, te permitem sentir a posição do canhão da fechadura e alinhar o mesmo na posição correcta para abrir caminho.

A nível de armas, aqui temos mais de uma mão cheia de opções para pulverizarmos os nossos inimigos. E se estivermos bem atentos aos cenários, poderemos arrebentar com alguns alvos especiais, que nos dão pontos para podermos comprar modificações para as nossas armas. Já que falo nisto, apesar de termos uma sala dedicada à modificação de armas, é algo estranho o facto de termos apenas uma mão cheia de cores disponíveis para pintarmos as mesmas. Sendo o tom de azul característico da PlayStation o primeiro a que o jogador tem acesso. No entanto, é de sublinhar que o próprio jogo providência-nos com armas de padrões mais elaborados, mas que as mesmas nunca ficam connosco se as trocarmos por outras armas que encontremos a meio do caminho.

Desde metralhadoras e granadas a shotguns e revolvers, aqui tens mesmo de tudo um pouco, sem qualquer necessidade de mais adições. Cada arma tem a sua forma característica de funcionar, mas o que merece uma atenção especial é sem dúvida a capacidade de munições que cada uma destas leva e a forma como é recarregada. Com efeito, quando deixamos de ter mais balas para gastar, dá-se um toque especial da Sony, que nos faz fisicamente retirar um novo cartucho pendurado no nosso peito, e enfiá-lo na arma, sendo que inclusive conseguimos manter uma arma na mão enquanto deslizamos a carga para recarregar a outra. E com isto, imagina agora fazer estas acções enquanto estás debaixo de fogo! Temos de ser bem rápidos a responder e muito eficientes a saber quando recarregar, para tentar fazer que cada bala conte e para que não acabemos com uma munição enfiada no encéfalo.

Blood & Truth

Lê mais:  Predator: Hunting Grounds | Análise

 

Arte

Blood & Thruth é caracterizado pelo seu visual semi-realista, com feições e detalhes extremamente distinguíveis, mas com texturas menos elaboradas para o jogo não ser tão pesado. Sendo um jogo desenvolvido pela Sony, é claro que a animação tinha de ser qualquer coisa, pelo que apesar de esta não ser das melhores coisas deste jogo, nota-se o recurso a actores reais para atribuir algum realismo aos movimentos das personagens.

Este jogo, é provavelmente o primeiro que me ofereceu uma experiência totalmente localizada em português de Portugal. Até que acho que neste aspecto, fez-se um bom trabalho a nível de dobragem. Com um casting escolhido a dedo para cada personagem, e sem nada de muito cringe para nos fazer ranger os dentes como aconteceu tantas vezes no Days Gone… Quanto à banda sonora do jogo, esta é aliciante, e propela-nos nesta montanha russa de emoções.

Blood & Truth já está disponível em exclusivo para a PlayStation VR.

Conclusão da Análise
Obrigatório!
9.0
Cedo me apaixonei pelo mundo do cinema e dos videojogos. A ficção agarrou-me e não me largou mais! A vida levou-me pelo caminho da Pós-Produção e da organização de Eventos de cultura pop, mas o meu tempo livre, dedico-o a ti e à Squared Potato.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.