Recentemente, a PQube fez-nos uma pequena surpresa, ao enviar-nos o Cat Quest 2 do estúdio The Gentlebros para nossa análise, e muito sinceramente posso dizer que quando descobri que tal fado iria ficar a meu cargo, não tinha pistas nenhumas de como é que esta Quest se iria desenvolver. Sem conhecimentos sobre a franquia e o que aborda, parti então à descoberta, e acho agora que este jogo veio parar às mãos certas.

[irp]

Se gostas de animais, vais render-te a esta aventura

Cat Quest 2, entrega-nos um RPG de mundo aberto, onde vestimos a pele de um felino e de um canino (tanto disponíveis no modo solo como em Co-op). Ambos Reis profetizados que chegaram juntos a este mundo para o salvar de uma grande guerra que se avizinha entre as suas espécies. A nossa missão é simples: restaurar a paz entre ambas as raças. 

Uma missão que nos levará a enfrentar masmorras, superar armadilhas, e a derrubar os esquemas dos actuais monarcas que planejam se aniquilar. Para tal, é também necessário restaurarmos um imenso poder, que nos permitirá derrotar os nossos derradeiros inimigos. Contudo, há muitos séculos atrás, a existência desta arma ameaçou a paz entre os reinos que procuramos agora unir, pelo que o seu poder foi dividido em fragmentos e posteriormente espalhados pelo mundo.

Com isto em mente, digo-te que a história parte de um princípio relativamente simples para aquilo a que já estamos habituados. Uma premissa algo já sobre explorada, sobretudo no mundo dos RPGs. Derrubar os mauzões da vila, com um artefacto que teremos de restaurar à sua forma original. Contudo, é importante dizer-te que este é um jogo feito a pensar no público mais jovem, e é tendo em especial atenção essa perspectiva que desenvolvo esta análise. 

Posto isto, a história consegue ser facilmente bem recebida pelo jogador. Até nós, camadas mais maduras, conseguimos achar aqui uma boa fuga à nossa rotina e relaxar, embora sejamos mais susceptíveis a perceber a existência de uma lacuna na história, ou pelo menos uma fragilidade no que toca a explicar a rivalidade existente entre os Reis actuais. Contudo o jogo reserva-nos ainda assim um plot twist mesmo inesperado, e que nos serve como uma chapada de luva branca por subestimar-mos o jogo, ou pelo menos foi assim que me senti.

Cat Quest 2

[irp]

Um nível de desafio passivo-agressivo

Uma coisa tenho absolutamente como certa: se gostas de animais, este jogo irá fazer-te derreter com a sua fofura. Pois é natural de vez em quando ouvires os miados ou os latidos dos nossos personagens, e ver os mesmos exprimirem emoções. O que fez render-me a esta aventura logo nos primeiros momentos do jogo, e deixei-me levar ao seu doce sabor.

Mas como todas as rosas têm espinhos, aqui encontrei um sistema de combate que me deixou algo com um sabor amargo. A nível de opções de estilo de combate, até que estamos bem munidos, com uma gama diversificada de armas que podemos escolher, e até tipos de feitiços e ataques especiais que podemos utilizar. No entanto, devo dizer que achei que os inimigos estavam demasiado buffed para o nível que nos mostram. Ora se estou ao mesmo nível que eles, ou se já até os superei um pouco mais, faz algum sentido levar quase um one-hit-ko deles ou ter de passar imenso tempo a trocar ataques com os mesmos para os conseguir derrotar? São mobs completamente banais, mas parecem bestas que só lhes vamos fazendo festinhas até às suas eventuais mortes.

Mesmo gastando imenso ouro a fazer upgrades a armas e armaduras, a situação é a que descrevo acima, pois não é de todo sensato partirmos para os combates sem antes estourarmos o gold todo nos nossos equipamentos. Especialmente quando é somente para isso que este serve.

 Contudo, se fores jogando aos poucos, és capaz de achar isto uma actividade quase relaxante… ir sobrevivendo com os dodges e implementando estratégias para usufruir das duas personagens e dos seus ataques ao mesmo tempo, de forma a conseguires prevalecer a cada novo desafio que te surja. Já uma criança pode mesmo entrar um pouco em stress, nomeadamente nas dungeons. Pois temos um tipo específico de tesouros (os melhores itens vêm todos destes baús) nas masmorras que só se abrem se limparmos o cebo a absolutamente toda a gente que se encontre nestas dungeons. …E com isto, há também o trauma, pois perdi uma hora e tal da minha vida a limpar uma masmorra, para depois ver tudo ser desperdiçado porque uma das passagens secretas que utilizei, transportou-me para o exterior… e sim, quando voltei tinha tudo spawnado outra vez. Não façam isto crianças. Não utilizem passagens secretas.

Cat Quest 2

[irp]

Um grafismo vivo e muito colorido

A disparidade de poder que se sente entre os inimigos e os nossos personagens, é de facto uma engrenagem que veio a afectar um pouco o meu gameplay, mas em compensação, temos aquele treat, de aproveitarmos um jogo visualmente bonito e com personagens por quem nutrimos algum carinho.

O mundo de Cat Quest é visualmente saturado de cores vibrantes e vivas, e populado por personagens com um design minimamente interessante e cartoonish. Neste deslocamo-nos sobre um mapa mundi 2D com alguns assets a sobressair da terra como se quase de um livro 3D se tratasse. A acompanhar-nos, temos uma banda sonora muito simples e repetitiva, com poucas faixas. Mas estas conseguem-se camuflar com o meio ambiente e não nos distrair da nossa demanda.

Cat Quest 2 já está disponível para, Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e na Steam para PC. Muito em breve, chegará também aos dispositivos Android.

Conclusão da Análise
Relaxante e fofo
6.7
Cedo me apaixonei pelo mundo do cinema e dos videojogos. A ficção agarrou-me e não me largou mais! A vida levou-me pelo caminho da Pós-Produção e da organização de Eventos de cultura pop, mas o meu tempo livre, dedico-o a ti e à Squared Potato.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.