A Realidade Virtual veio a proporcionar um excelente veículo para a arte de contar histórias. Fisherman’s Tale, por exemplo, foi das primeiras experiências que me arrebataram neste campo, uma das muitas que me vieram a marcar desde então, e a juntar-se a uma imensidão de títulos escolhidos a dedo que tenho vindo a experimentar e a partilhar contigo na Squared Potato

Obras essas que vêm a contribuir para o impulsionamento do mercado de experiências VR, e inevitavelmente para um maior rigor por parte dos estúdios que cada vez mais rigorosos nas suas decisões, atestam a qualidade das suas produções, cada vez mais envolventes e desenhadas para a melhor experiência de utilizador. Experiências como SAO, antes, pura ficção, são agora cada vez mais tangíveis.

Com isto, agora sim, já é seguro dizer que este veículo veio finalmente para ficar, ao invés das investidas anteriores dos últimos 30 / 40 anos em que ouvimos falar dos flops desta tecnologia. E com isto, digo desde já que o jogo que te trago hoje, Down The Rabbit Hole, ajudará os mais hesitantes a abraçar definitivamente esta nova forma de viver histórias.

Down The Rabbit Hole, uma aventura inesperada

Por simples palavras, Down The Rabbit Hole é um re-imaginar da história de Alice no País das Maravilhas, mas contada com uma originalidade, muito, muito única. Como que um avô que conta uma história para adormecer à sua neta. 

Tecnicamente falando, aqui não desempenhamos o papel de Alice, mas sim de outra rapariga que se coloca no seu lugar. Esta encontra-se numa procura desenfreada pelo seu animal de estimação Patches. Neste ponto, a Cortopia Studios dá a entender que procurou inspirar-se na história verídica que despontou esta célebre obra de Lewis Carroll, mas moldando ainda assim o enredo a seu gosto. 

Em perspectiva de terceira pessoa, o jogador apresenta-se como uma personagem omnipotente, que interage com o meio ambiente e controla as personagens principais, bem como efectua algumas escolhas de diálogo. 

Down-the-Rabbit-Hole

Um mundo Alice-iante

Cheio de humor, cores vibrantes e aquele visual demente a que o mundo de Wonderland sempre nos habituou, Down The Rabbit Hole é ainda povoado pelas personagens mais icónicas (e adoráveis) da história, com um character design aliciante e familiar. Isto, também se aplica ao voice acting, que está adaptado para dar maior personalidade às personagens com algum sotaque empregue.

Para os mais claustrofóbicos, aviso já que a história gira (figurativamente) em torno de um buraco, (uma toca de coelho) qual ocupamos e vamos descendo, e descendo, à medida que progredimos nesta aventura, descobrindo novas secções e cenários embutidos nas paredes do mesmo, e onde se passa a acção das personagens. Posto isto, olhando para cima, verás sempre uma vista do mundo exterior que te aguarda à superfície, mas abaixo, irás ver apenas escuridão durante grande parte da jornada. 

A forma como te movimentas neste espaço, é no mínimo também algo intrigante, pois usufruis de umas raízes que se desenterram das paredes do buraco para te agarrares e manobrares a perspectiva do cenário em relação a ti. Contudo és livre para te mexer à vontade. Se decidires que não queres jogar de pé, vais gostar de saber que é possível utilizar o joy-stick direito para rodares a perspectiva a gosto, para tua comodidade e conforto.

Down-the-Rabbit-Hole

Puzzles únicos a cada novo espaço revelado

Agora, sobre as mecânicas de jogo em si, devo dizer que apesar de ter adorado descobrir e explorar estes cenários, cada espaço tão mais único e original que o anterior e com as suas próprias mecânicas de puzzles, dei por mim algo a desesperar, com a demanda por reunir todos os convites para a festa da Rainha de Copas. Os quais temos de coleccionar ao longo de toda a jornada para sermos bem sucedidos. 

Tirando esse detalhe, que te faz perscrutar cada novo espaço com olhos de falcão à procura dos benditos dos envelopes que se escondem nos cenários, a Cortopia está sempre a tirar um novo coelho da cartola, ou uma cartada da manga. E como um grande truque de magia, sentes-te perante um grande espectáculo em que tens de participar e resolver puzzles das mais variadas formas. 

Não há absolutamente nenhum cenário que requeira a mesma linha de pensamento que o anterior. Pelo que há sempre aquela sensação de antecipação por querer descobrir o que é que vai acontecer a seguir, qual será o próximo espaço a ser revelado.

Down The Rabbit Hole já está disponível para PlayStation VR, Oculus Quest e Oculus Rift, Steam VR e Vive Port.

Conclusão da Análise
Mágico!
8.5
Cedo me apaixonei pelo mundo do cinema e dos videojogos. A ficção agarrou-me e não me largou mais! A vida levou-me pelo caminho da Pós-Produção e da organização de Eventos de cultura pop, mas o meu tempo livre, dedico-o a ti e à Squared Potato.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.