Bem vindos a Green Hell, um jogo situado na lindíssima floresta Amazónia, onde têm de caçar, dormir, construir, correr, trepar, tudo sem qualquer ajuda, recorrendo apenas ao vosso instinto de sobrevivência.

Passado na bela Amazónia, temos  uma recriação com grafismo realista, puxando o máximo que pode pelo nosso hardware, não se sobrecarregando de itens desnecessários como foliage excedentária, algo comum neste tipo de jogos. É aqui perfeitamente alcançável uma experiência realista no que toca a termos gráficos, sendo que apenas precisas de um computador modesto, como por exemplo o meu (i3 8350k e uma GTX 1060 3GB MSI Gaming X)

Chegados ao jogo, somos confrontados com várias hipóteses, podendo escolher entre completarmos a história de maneira normal, uma espécie de survival mode de forma a testar os nossos limites e paciência, ou, podemos ainda optar por inúmeros desafios acompanhados de diversas condicionantes.

Lê mais:  Manifold Garden | Análise

O modo história é bastante genérico, centrado num casal (Jake e Mia Higgins) que decidiu regressar à Amazónia em procura de respostas à investigação que estão a organizar. Para tal, têm de entrar em contacto com uma tribo.

Logo de início somos presenteados com um breve tutorial, onde nos transmitem o básico: como criar uma fogueira, angariar recursos, entre outras. Entre estes momentos é possível estar constantemente em contacto com a nossa esposa graças ao nosso walkie-talkie.

Após certos acontecimentos, começa a verdadeira experiência de sobrevivência, pelo que é perfeitamente normal que, após breves momentos de começarem a jogar, repararem que o jogo é talvez demasiado extremo ou demasiado brando na maneira como aborda este tema, mas não tem qualquer problema. A Creepy Jar arranjou maneira de irmos alterando certas definições sem prejudicar a experiência, para que cada um possa jogar ao seu ritmo e não sinta que se está a empenhar demasiado sem qualquer retorno.

Green Hell

Lê mais:  Clone Drone in the Danger Zone | Primeiras Impressões

A partir daqui, teremos de aproveitar da melhor maneira os três melhores recursos para a nossa sobrevivência: água, comida e dormida. A comida é sub-dividida para que tenhamos de manter uma alimentação diversificada, de forma a que a nossa saúde não seja afectada pela falta de certos nutrientes. Atenção que esta tarefa não é fácil, e irá consumir tempo e paciência, mas, não se esqueçam que enveredaram num jogo de sobrevivência, creio que sem paciência esta é impossível.

Mesmo no consumo de comida que tem os nutrientes certos, terão de verificar por parasitas ou se contém algum elemento que nos envenene. Se de facto quiserem aventurar-se e comer de tudo, não se admirem se, após 1 hora in game, se encontrarem deitados a falecer, porque é a vida. Qualquer erro na alimentação é fatal.

De forma a controlarmos estes recursos teremos connosco um smartwatch que nos permite visualizar em tempo real qual é o nosso estado (à lá Sims). Além de podermos ver estes três recursos, este diz-nos as horas e as nossas coordenadas para não nos perdermos.

Green Hell

Lê mais:  Assassin's Creed Valhalla | Trailer, Edições Especiais e Todos Os Detalhes

Podemos também manter uma saúde impecável e sermos mordidos por um insecto que se lembrou de nos sentenciar à morte. Caso vejam que estão afectados por alguma substância, Green Hell possibilita-nos a inspecção dos nossos membros, de forma a que possamos verificar qual deles está a ser prejudicado. Para além destes que nos causam uma morte dolorosa, temos ainda as sanguessugas, que embora não sejam constantemente irritantes, quando nos aproximamos da água começam-se a pegar a nós, tendo de ser removidas individualmente, o que ao fim de um tempo pode-se tornar uma tarefa exaustiva.

Para quem jogou The Forest, estará mais que à vontade com a construção em Green Hell, pois este inspira-se maioritariamente nas mecânicas do anterior. Através de um bloco de notas, teremos acesso ao que é possível construir, e quais os recursos necessários para a construção da mesma estrutura.

É possível que comecem a perder sanidade, caso o jogo não corra da melhor maneira. Esta é recuperável, desde que não se lembrem de se armar em Indiana Jones. No pico da perda de sanidade, encontramos alucinações e vozes na nossa cabeça, pelo que irão perder percepção do que é real e o que é produto do cérebro, é obrigatório que adoptem uma postura premeditada.

Green Hell

Lê mais:  Call of Duty | Temporada 3 Já Disponível em Modern Warfare e Warzone

Com um conjunto de actores que protagonizam um belo guião, é de esperar que os sons da floresta sejam o mais intimidantes possível, o que de facto acontece. A sonoridade foi algo que denotamos que foi planeada com cuidado, tendo atenção ao mais ínfimo detalhe.

Green Hell já está disponível na Steam para PC.

Conclusão da Análise
Temível
7.8

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.