A Bloober Team voltou em força! Depois do sucesso estrondoso de Layers Of Fear, que pessoalmente é um dos meus jogos preferidos de horror psicológico, o estúdio apresentou-nos um projecto que dividiu opiniões dentro do mesmo género, mas que ainda assim deixou a sua marca. Com o anúncio de Blair Witch na E3 2019, o próximo projecto da equipa, pudemos ver uma qualidade rara neste ramo da indústria, e com isto não é de estranhar que quanto a Layers of Fear 2, as expectativas tenham estado altas.

Expectativas essas que não foram as minhas, pois para mim quando um jogo é simplesmente fenomenal, e detém principio meio e fim, fazer a sua sequela é simplesmente ordenhar os fãs mais um pouco, e brincar com a possibilidade do segundo jogo poder vir a estragar totalmente a imagem que até então tinha sido construída. No entanto, devo dizer que Layers of Fear 2 conseguiu aguentar-se firme e trazer-nos uma experiência bem distinta do seu sucessor, o que vale só por si.

Lê Mais:  Playstation | A 500 Million Limited Edition PlayStation®4 Já Chegou A Portugal!

As Camadas

Ao passo que o mundo de Layers of Fear conta-nos uma história mais simples e concisa, que conseguimos perceber ao fim de meia hora de jogo, a sequela sobrepõe-nos várias histórias que nos deixam a questionar qual é a verdadeira identidade da nossa personagem no meio disto tudo. Sem ser spoiler, digo-te que começamos o jogo a saber que controlamos um actor, que embarca numa aventura para assumir o seu papel numa grande produção dentro de um cruzeiro. Este procura vestir a pele da sua personagem, que tal como ele, sofreu de um passado bastante conturbado. Com isto, ao invés do quadro do jogo antecessor, aqui vamos construindo uma personagem camada a camada, membro a membro, procurando responder a grandes questões como: Onde nos inserimos, Qual a motivação da nossa personagem, Quais os seus maiores medos, Como é que se deu esta tragédia, etc…

Com isto, até o próprio cenário evoluí conforme progredimos na construção da personagem, e aqui entra um dos aspectos que mais se destacam nos trabalhos da Bloober Team: o seu level design totalmente criativo e interveniente, que consegue arrepiar-nos sem grande esforço. Falo por exemplo daqueles breves momentos em que desviamos o olhar do cenário, e de repente surge uma porta ou um novo caminho a tomar. Um efeito surreal que não passou despercebido neste jogo, e que inclusive foi embebido por certos puzzles que temos de resolver ao passo que desvendemos a história.

Layers Of Fear 2

Lê Mais:  State Of Play | Próxima Emissão Anunciada Já Para Esta Semana

Ficção VS Realidade

Contudo, com esta evolução toda, acabamos por perder a noção do que realmente estamos aqui a testemunhar… Se somos um actor em busca de inspiração, se somos uma das personagens da história… e o final deixa-nos ainda mais confusos! Mas talvez seja esta a magia que o estúdio pretendeu criar aqui, e conhecendo histórias de actores que perderam as suas identidades dentro dos seus papéis, vejo isto com uma outra luz, totalmente válida, e que me deixa apreciar este jogo e dar-lhe todo o mérito pela sua originalidade.

Com isto, quero fazer notar que este é um jogo que imprime muitos elementos dignos da admiração de grandes fãs da história da criação do cinema. Para mencionar algumas das situações, temos aqui uma homenagem à Viagem à Lua de George Méliès, bem como a uma das suas curtas menos conhecidas onde a técnica do masking foi devidamente inventada por este ilusionista: The Four Troublesome Heads. Claro, não podiam faltar algumas referência à cultura pop cinematográfica, como a Metropolis, e como efeito temos até inclusive uma cena de homenagem a The Shining que é simplesmente icónica. De facto todo o jogo gira em torno desta indústria, até porque a história está dividida em 5 actos e no final de cada um, descobrimos uma nova película que desbloqueia um novo membro e uma nova camada neste enredo.

Layers Of Fear 2

Lê Mais:  Gran Turismo Sport | Nova Actualização Gratuita 1.31 Já Disponível

Atmosfera

Como deves imaginar, os visuais aqui estão brutais! Os cenários permitem-nos respirar dentro de uma atmosfera completamente imersiva, com todas as texturas, as luzes e as penumbras, a mergulharem-nos cada vez mais profundamente neste mistério. Este mundo, é povoado por imensos manequins, que substituem todas as personagens que pudessem deambular por estes corredores. Estes, contam-nos histórias trágicas como se de uma instalação de artes plásticas se tratassem. O ritmo do jogo, é totalmente orquestrado, e para fazer o teu coração quase saltar pela boca, foi introduzida uma criatura distorcida que nos persegue e nos obriga a sermos mesmo muito rápidos a tomar decisões e a arranjarmos maroscas para ganharmos tempo e distância. Tenho a teoria de que por fim, esta é meramente o nosso reflexo… O jogo consegue ainda ir mais longe com o áudio binaural, uma sonoridade que quase pode ser sentida fisicamente de forma palpável.

Layers of Fear 2 já está disponível para PlayStation 4, Xbox One e na Steam para PC.