Numa senda de dar um maior cuidado a sequelas de sagas históricas, temos Need for Speed Heat, apresentado pela Ghost Games, numa reinvenção da simplicidade que tantos fãs trouxe à comunidade de NFS.

O respeito e o passado que a Ghost Games detém para com a saga Need For Speed

Com uma reinvenção positiva, cuidada e com os ouvidos na comunidade, aliado a uma falta de competição séria, podemos assumir que Need for Speed toma o pódio de melhor racer  do ano de assalto. Para quem não jogou o Most Wanted da Ghost Games de 2015, este é um título que aconselho vivamente, embora não respeite as origens da saga. Pois caso tivesse sido lançado independente do nome Need for Speed, o impacto teria sido bem mais profundo. Este é o respeito que a Ghost Games tem para com a nossa comunidade, algo de louvar.

O respeito é de louvar, no entanto continuamos com lançamentos que pretendem voltar às origens, afastando-se do conceito base: o foco nas corridas ilegais. É verdade que existe um ênfase nas mesmas nesta entrada, todavia salienta-se a vontade de querer ser bom em tudo, que resulta em não ser excelente em nada. Não digo isto num tom negativo, acredito que as intenções da Ghost Games serão as melhores, no entanto esta ambição desmesurada foi aplicada sem rigor.

Creio que uma das maiores falhas até agora tem sido uma tentativa de implementar uma pseudo-história nos jogos da saga, resultando numa quebra de ritmo entre as cutscenes do jogo e a condução. A solução, a meu ver, passa por uma não-história, sendo que simplificar esta vertente permitirá implementar esforços noutros sectores.

need-for-speed-heat-electronic-arts-ghost-games-screenshots-1

Os visuais acompanham esta geração, com efeitos climáticos espectaculares, o contraste da iluminação com o carro produzem efeitos visualmente brutais. A banda sonora é all over the place, desde Alien Ant Farm a Guns & Roses, com tons latinos pelo meio, algo para agradar às massas.

Um sector que não requer qualquer apontamento é a condução. A Ghost Games já com Most Wanted (2015) mostrou qualidade na jogabilidade, sendo que este título não foge à regra. A fluidez com que deslizamos para um drift parece manteiga. É sem dúvida um top 3 na jogabilidade dos Need for Speed.

Need For Speed Heat oferece-nos um ecossistema sustentável

Temos agora uma separação entre o dia e a noite, sendo que durante o dia participamos em corridas organizadas legalmente, onde vamos ganhando dinheiro por cada vitória, no entanto para comprarmos peças não basta termos dinheiro, é aqui que entra a vertente nocturna. Durante a noite iremos participar em corridas ilegais e em fugas à polícia para ganharmos reputação (Rep), entre os diversos corredores. Esta reputação serve como yang ao dinheiro que iremos acumular durante o dia.

Creio que chegámos ao ponto crucial desta análise. Ora, a Ghost Games encontrou uma maneira sustentável de variar actividades, criando um ecossistema entre o dia e a noite, mas questiono eu, a que custo? É neste ponto que existe a colisão entre os fãs mais puristas da saga e os neutros/novos jogadores, numa espécie de vs. da comunidade de Pokémon. É necessário prescindir de valores antigos para criar uma experiência mais completa? Este será um caminho que iremos verificar cada vez mais ao longo nesta indústria.

need-for-speed-heat-electronic-arts-ghost-games-screenshots-2

Adapta-te a cada circuito ou serás esmagado!

Com um ecossistema sustentável, encontramos uma falta de equilíbrio na maneira como a dificuldade se apresenta nas corridas. À medida que vamos melhorando o carro, vamos aumentando o nível do próprio, e acontece que existe um limite para o nível dos carros que iremos defrontar na pista. O que de certa forma torna o jogo demasiado fácil, e por outro lado, nas primeiras fugas à polícia iremos ser esmagados em pouco tempo, conseguindo apenas ganhar bom ritmo após melhorar o carro.

Estes melhoramentos terão de se adaptar aos vários tipos de corridas que terão pela frente, sejam drifts, circuitos ou sprints, a afinação terá de ser ideal para cada tipo, algo não muito difícil de conseguir.

Quando encontrares o ponto ideal no teu carro, terás pela frente horas e horas de corridas, fazendo jus à competitividade que Forza oferece (embora não tenha saído nenhum este ano, a comparação é inevitável). Além de corridas, terás claro um mundo aberto para explorar, com um misto de cidade e locais rurais. Sonho pelo dia em que esta saga decidir atacar um visual futurista, estilo Tron. Os ingredientes estão cá, resta apenas sonhar.

Need For Speed Heat já está disponível para PlayStation 4, Xbox One e na Origin para PC.