Como sempre fui honesto convosco, não será desta vez que irei alterar o padrão. Não sou o maior fã dos filmes do famoso Predator. No entanto, não posso desconsiderar o misticismo a que a personagem deu origem, um supra-sumo da brutalidade, sem qualquer misericórdia, actuando de forma quase indetectável em qualquer ambiente é uma ideia simplesmente brutal para se explorar em qualquer forma de multimédia.

Dito isto, não sou fã dos filmes, mas sou fã da personagem, das bandas desenhadas e de um jogo que considero bastante desvalorizado, Alien Vs. Predator (2010). Este, para além do conteúdo que ofereceu, trouxe consigo uma interpretação bastante sólida de cada um dos lados da história.

O Jogo

Ora, quando vejo um novo jogo do Predator penso: será que é desta que posso exercer em pleno as suas capacidades enquanto assassino de alto calibre? Após algum tempo, acabei por perceber que seria um pouco mais complicado que isso.

Predator: Hunting Grounds traz consigo uma experiência que em nada nos é surpreendente ou sequer inovadora. Reutilizando (e reinventando em certa parte) uma fórmula que nos foi oferecida em jogos como Evolve, Friday the 13th (dos próprios Illfonic) ou Dead by DaylightPredator: Hunting Grounds arrisca uma vertente de jogabilidade que em nada beneficia o protagonista do jogo.

Predator: Hunting Grounds

Objectivo

O objectivo do jogo difere consoante o lado em que jogamos, caso sejamos o Predator (o que é bastante raro, dado que o tempo de matchmaking para ser Predator é de 6 minutos face aos 30 segundos de Fireteam). O nosso objectivo passa por ser basicamente o Predator... Ou seja, matar toda e qualquer alma viva na floresta antes que consigam escapar.

Para quem joga em Fireteam (que é o que vai acontecer quase sempre), o objectivo passa por assegurar que toda a equipa vai para o helicóptero (nice), o que não acontece enquanto não carregarmos bastantes vezes no quadrado, investigando e concluindo mini-objetivos enquanto aguentamos mini-ondas de inimigos, cuja inteligência é simplesmente hilariante, pois parece que têm todos o mesmo GPS e acabam por vir todos pelo mesmo caminho. Tudo isto será feito enquanto rezamos que o Predator não caia sobre nós enquanto estamos sozinhos.

Sim, só precisam de rezar enquanto estiverem sozinhos, porque se estiverem sempre em equipa o Predator vai ao chão como quem bebe água, o que é simplesmente surreal. Percebe-se que a Illfonic criou Predator: Hunting Grounds com base na sensação de adrenalina que é vermos um Predator cair mesmo à nossa frente, qual super-vilão, e nós, indefesos, apenas podemos gritar para que nos possam ajudar. E isso, de facto, acontece durante cerca de 30 segundos, pois como já disse, basta termos uma equipa equilibrada e não teremos qualquer problema.

Predator: Hunting Grounds

Opções de Caracterização

Antes de enfrentarmos qualquer uma das ameaças, teremos a hipótese de nos equipar a rigor, com menus ao estilo do génerico FPS, encontramos opções de caracterização brutais para o Predator, desde cor das Predlocks, ao padrão da pele, ou até mesmo o troféu que levamos à cintura. Se forem Fireteam… Têm dois penteados diferentes com 1cm de diferença entre cada um. Percebe-se que o foco foi captar a essência do Predator, mas a que custo é que damos 90% de atenção a uma vertente do jogo que apenas nos é presenteada com bastante tempo de sobra?

Numa altura em que o temperamento e a paciência do jogador-comum diminui, será mesmo uma boa opção colocar algo tão icónico atrás de uma barreira tão prolongada?

Visuais

Neste departamento, é inegável dizer que Predator: Hunting Grounds saiu demasiado cedo. Para quem joga numa PS4 normal (que serei eu e cerca de centenas de milhões de pessoas), verão o vosso jogo parecer um cubo de gelo no Algarve em Agosto, constantemente a derreter face à vegetação e quantidade de detalhes que a Illfonic colocou no jogo. Até mesmo no menu de caracterização, o tempo de carregamento dos itens é cerca de 4/5 segundos quando a única coisa que está a ser carregada é uma personagem, imaginem como será o processamento numa selva, carregada do que parece ser um film grain de baixa qualidade.

Predator: Hunting Grounds

Ao contrário do departamento dos visuais, a vertente sonora de Predator: Hunting Grounds é exímia. Não existe forma de descrever a excelência com que captaram todos os sons que caracterizam a famosa saga, ou a atenção ao detalhe em cada interacção, sem dúvida um dos pontos fortes do jogo, para os que preferem jogar de headphones.

Predator: Hunting Grounds já está disponível para PlayStation 4 e na Epic Games para PC.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome