Desenvolvido pela Polygon Treehouse, e publicado pela United Label, Röki é um indie que nos dá a mão para partirmos à aventura numa densa floresta, populada por seres mágicos e todo o tipo de fantasias inspiradas no folclore escandinavo. Uma jornada comovente que nos leva a reencontar-mo-nos a nós mesmos, no meio de um enredo tão brilhantemente composto. Pronto para ficares a conhecer Röki e o seu mundo? Vamos lá!

Röki mostra-nos uma história com Sentimento

Um pouco semelhante a todos os contos de fadas que conhecemos, Röki, que dá nome à obra, trata-se de um rapaz amaldiçoado a viver a sua vida como uma criatura gigantesca e assustadora. No entanto, não é neste que se centra a nossa história, mas sim em Tove, uma jovem rapariga, que numa noite acorda sobressaltada com a temível criatura a destruir-lhe a casa, e a raptar o seu irmão mais novinho bem na frente dos seus olhos. 

Tove, teve um passado que tanto tem de complicado como de injusto, onde mal se lembra de sorrir, e do qual o jogador vai-se inteirando dos seus sentimentos e se emocionando com as suas vitórias. A certo ponto, a ligação entre nós e esta personagem, consegue ser tão forte, que é mesmo muito difícil conter as lágrimas que nos escorrem pelo rosto quando já conhecemos tão bem a Tove, e temos o prazer de conhecer um pouco melhor o seu passado nos tempos em que era mais feliz.

Röki-Polygon Threehouse- United Label

Sem mãe, e com um pai que tenta cooperar com a dor dessa perda da melhor forma que sabe: passando mais horas a dormir do que acordado, esta jovem corajosa cresce a tomar conta de Lars, desde o momento em que este nasce, e assumindo toda a responsabilidade de o proteger. No entanto, o seu pequeno irmãozinho é-lhe agora retirado forçosamente, e sem meios a medir, é claro que Tove nunca irá desistir de salvar Lars do destino fatídico que o espera.

Pelo meio, juntamente com Tove, iremos conhecer uma panóplia de personagens caricatas mas muito, muito carismáticas. Cada uma tão especial e única quanto a outra, dentro do curto tempo que passamos com as mesmas. A nível de enredo, este é de facto um jogo fantástico, e que nos emociona com a forma como aborda causas e questões familiares. O que envolve igualmente floresta mágica, bem como as suas raízes vivas e todas as suas criaturas fantásticas que a adornam. No entanto, há um ponto fraco que retiro daqui: a grande vilã desta história. As suas motivações, o seu passado, tudo é muito mal explorado e pouco explicado, sendo mais um receptáculo para o papel de má da fita, mas sem grande dimensionalidade a partir daí. 

Röki-Polygon Threehouse- United Label

Explora e ajuda as criaturas da floresta

A par e passo que Tove se aproxima do seu objectivo de salvar Lars, o jogador explora a floresta através de curtas secções que constituem todo o mapa de jogo. Nestas, podemos controlar Tove livremente, enquanto procuramos por interacções, ou por resolver certos conflitos e puzzles que nos são atribuídos pelas personagens da floresta. Por sua vez, algumas secções da floresta estarão bloqueadas até que consigamos descobrir uma forma de superar a maldição que a corrompe com misteriosos parasitas.

Tais conflitos envolvem nomeadamente, conseguirmos encontrar ou produzir certos itens que resolvam os problemas que as personagens enfrentam. É possível para isso combinarmos 2 itens da mochila de Tove, para criarmos algo funcional que nos ajude a resolver a equação. 

Para além desta vertente, Tove também é capaz de escalar e de empunhar uma arma, mas no entanto, qualquer sistema de combate encontra-se aqui ausente. Mais, há uma total inexistência de qualquer tipo de ecrã de game over, o que não é de todo um ponto negativo, mas um ponto conceitual onde uma escolha foi feita no desenvolvimento deste jogo, e acabo por concordar com essa para o bem da experiência do jogador.

Röki-Polygon Threehouse- United Label

Isto quer dizer que não tens como morrer no jogo, pois sempre que te aproximas de um inimigo, és barrado com Tove a dizer que tem de pensar melhor na sua estratégia. Afinal de contas, o primeiro objectivo dela é manter-se viva, pois de nada serve ao seu irmãozinho se ela não conseguir manter-se a si própria com vida.

Um visual de sonho

A arte de Röki, é tão deslumbrante quanto a sua história. Com visual plano e alguns registos de textura, o jogo sente-se como uma autêntica animação desenhada e pintada à mão. De facto, a animação é igualmente excelente, com uma imensa fluidez e com o peso a sentir-se e bem nos seus movimentos. Ciclos de animação muito bem feitos.

Para finalizar o tratamento, leva uma espécie de filtro que nos dá a sensação de que estamos a ter um sonho, um sonho de jogo, e ao mesmo tempo, de que estamos a ver um filme. Faz-me lembrar um pouco a sensação que Life Is Strange me transmite, mas com um registo diferente. E em pano de fundo? Uma música muito leve que explora os tons da história que seguimos no ecrã, como se tratasse de reproduzir o tom de voz de um narrador.

Röki já está disponível para Nintendo Switch, e na Steam e GOG para PC.

Conclusão da Análise
Simplesmente rico e emocionante!
9
Cedo me apaixonei pelo mundo do cinema e dos videojogos. A ficção agarrou-me e não me largou mais! A vida levou-me pelo caminho da Pós-Produção e da organização de Eventos de cultura pop, mas o meu tempo livre, dedico-o a ti e à Squared Potato.

Deixa uma resposta

Por favor deixa aqui o teu comentário
Por favor deixa aqui o teu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.