monstra 2023 festival de animação de lisboa

A MONSTRA está novamente à solta por Lisboa!

A 22.ª edição do Festival de Animação de Lisboa vai acontecer entre 15 a 26 de Março e este ano comemora o centenário do cinema de animação nacional, com a maior representação portuguesa de sempre em competição. O Japão é o país homenageado nesta 22.ª edição, quando se contam 480 anos de amizade entre Portugal e a terra do sol nascente. Ao todo teremos 423 filmes em exibição entre eles 80 estreias mundiais, 17 estreias internacionais, 70 estreias nacionais entre outras novidades.

De destacar em especial a curta metragem portuguesa Ice Merchants realizada por João Gonzalez que recentemente foi nomeada para os Óscares sendo a primeira produção nacional a ter esse feito e vai estar em três competições na MONSTRA.

Este ano na Competição de Longas teremos duas obras portuguesas, Nayola de José Miguel Ribeiro e Os Demónios do Meu Avô de Nuno Beato mas também No Dogs or Italians Allowed de Alain Ughetto (uma produção feita em Stop Motion e coproduzida entre França, Itália e Suiça).

Na Competição de Curtas-metragens, destacam-se dois nomeados para os Óscares cujo um deles já mencionei atrás, a curta portuguesa Ice Merchants e The Flying Sailor da dupla canadense Amanda Forbis e Wendy Tilby que já marcaram presença na edição da MONSTRA em 2019.

Outros concorrentes na categoria são Amok, de Balázs Turai (Roménia, Hungria), Bird in the Peninsula de Atsushi Wada (Japão), Letter to a Pig de Tal Kantor (Israel, França) e Steakhouse de Špela Čadež (Eslovénia, Alemanha, França).

Com o Japão em destaque nesta edição da MONSTRA, nomes como Atsushi Wada, Osamu Tezuka, Eiichi Yamamoto e Noburô Ôfuji serão alguns destaques com várias exibições de filmes dos mesmos e algumas conversas com convidados como  Koji Yamamura (que inclui uma exposição de 50 desenhos originais de 4 dos seus filmes e ainda uma masterclass no Museu do Oriente.

E como falamos em Japão, não podia mesmo ficar de fora os Studio Ghibli cuja a MONSTRA tem preparada algumas sessões nomeadamente de clássicos do estúdio como Ponyo e Porco Rosso ambos realizados pelo mestre Hayao Miyazaki e ainda The Tale of the Princess Kaguya (do falecido Isao Takahata) e The Red Turtle pelo holandês Michaël Dudok que estará de visita a Lisboa para uma masterclass sobre o processo criativo deste filme produzido entre o Japão e a Europa.

zp11_dok_thelonging_ofmichael_01_1  
Michaël Dudok

Os filmes de animação japonesa Paprika, Demon Slayer – Mugen Train, Akira, Sky Crawlers e O Rapaz e o Monstro também estão presentes na programação a juntarem-se às festividades relacionadas com o Japão e podem contar ainda com o historiador japonês Ilan Nguyên e a portuguesa especialista em Hayao Miyazaki, Cátia Peres para algumas conversas com os visitantes.

A recente obra de Masaaki Yuasa “Inu-Oh” vai ainda tem estreia exclusiva na MONSTRA e mesmo no inicio do festival podem contar com uma estreia especial criada por jovens japoneses e ainda música ao vivo.

A MONSTRINHA estará mais uma vez presente para os mais novos com programas como MONSTRINHA Baby e MONSTRINHA Pais e Filhos com longas e curtas metragens para todas as idades nos locais habituais como Cinema São Jorge, Museu Nacional de Etnologia, Centro Cultural de Carnide e Centro de Artes de Sines. A MONSTRINHA Vai à Escola (13 de fevereiro a 10 de março) e a MONSTRINHA Escolas (15 a 26 de março), até agora, com 7000 e 5000 inscritos, respetivamente, trazem propostas nas e para as escolas de todo o país.

Estas são algumas das novidades principais da 22.ª edição da MONSTRA mas podes consultar toda a programação completa no site oficial onde mais surpresas estão preparadas. O festival tem como local principal e habitual o Cinema São Jorge mas também inclui a Cinemateca Portuguesa, Museu do Oriente, UCI Cinemas El Corte Inglês e ainda Cinema City Alvalade.

Cinéfilo, gamer, cosplayer e ainda adorador de praia, piscina e tudo o que envolva água, e cenas aquáticas ao mesmo tempo que é um louco por Studios Ghibli desde gaiato. Pretende um dia voltar a pegar numa prancha de Bodyboard e recordar outros tempos de preferência sem tubarões do Spielberg pelo mar.