O Vento Assobiando nas Gruas | Adaptação do romance de Lídia Jorge nomeado para prémio de prestígio na Suiça

O Vento Assobiando nas Gruas a mais recente obra cinematográfica da realizadora suíça Jeanne Waltz é um dos sete filmes nomeados para o Prix de Soleure, no contexto do 59º Solothurner Filmtage (Solothurn Film Festival), um dos mais antigos festivais de cinema da Suíça, que decorre de 17 a 24 de janeiro. A adaptação livre do premiado romance homónimo de Lídia Jorge, publicado em 2002, chega a 29 de fevereiro aos cinemas em Portugal.

Para Jeanne Waltz a nomeação de O Vento Assobiando nas Gruas para o prestigiado Festival de Cinema suíço, ‘é um enorme privilégio e uma oportunidade única para a promoção do cinema que se faz em Portugal’. O filme será exibido a 20 de janeiro, com a presença realizadora e o vencedor anunciado dia 24 de janeiro – na noite de encerramento do festival. O prémio destina-se a destacar filmes focados em temas humanistas, com narrativas cativantes, abordadas de forma envolvente e inovadora, e tem o valor de 60 mil francos suíços (cerca de 64 200€), a partilhar entre produtores e realizadores.

Protagonizado pela atriz portuguesa Rita Cabaço, o argumento acompanha a história de Milene Leandro, uma jovem mulher que, com a morte da avó e com os tios de férias no estrangeiro, se vê abandonada, mas se torna independente. É numa antiga fábrica de conservas da família Leandro que Milene é encontrada pelos cabo-verdianos Mata, que escolheram aquele local para viver.

O ator Milton Lopes assume o papel de Antonino Mata – viúvo e pai solteiro que capta a atenção de Milene – ao lado de um prestigiado elenco de atores como Maria Fortes, Beatriz Batarda, Isabel Cardoso, Carla Maciel, Ruben García, João Lagarto, Romeu Runa, Cleo Diára, Elísio Pereira, Severa Reis, e com a participação especial de Ana Zanatti e Dino D’Santiago – que compôs também Filho do Vento e Mamã, dois dos temas principais da banda sonora.

Integralmente filmado na região do Algarve, o filme é uma coprodução luso-suíça, entre a C.R.I.M. e a BOX Productions, em coprodução com a RTS. A obra cinematográfica teve o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual, Fundo de Apoio ao Turismo e ao Cinema, RTP, Conselho da Europa, Office Fédéral de la Culture, Cinéforom, Loterie Romande, do Fonds Culturel de Suissimage. O Vento Assobiando nas Gruas contou ainda com apoio das câmaras municipais de Tavira, Castro-Marim e Vila Real de Santo António.

Com argumento escrito pela própria realizadora, a longa-metragem teve a sua estreia mundial na Califórnia em outubro, no âmbito do festival de cinema norte-americano Mill Valley e chega a 29 de fevereiro aos cinemas nacionais.

Sara Kohl
Na internet, ninguém sabe que és uma batata.