É com grande nostalgia que me revejo na sala dos meus avós a passar dias inteiros colado ao (verdadeiro) Cartoon Network. Desde Johnny Bravo, passando por Dexter’s Laboratory, Courage e Ed Edd & Eddy, nenhum me causou tanto impacto como a hilariante e assustadora Família Addams.

Só o facto de conseguirem conjugar temas tão mórbidos com humor e resultar, convergiu-se num produto altamente diversificado do leque de desenhos animados existentes na altura.

Addams-1  

Cerca de 20 anos mais tarde a PHL Collective decide reavivar as memórias dos millennials, trazendo às mais recentes consolas o destaque desta análise: The Addams Family: Mansion Mayhem. The Addams Family: Mansion Mayhem trata-se de um platformer 3D que segue mais uma aventura desta família tresloucada.

Estes são deparados com um aviso de que serão despejados da casa após um visitante misterioso afirmar que irá assumir legitimamente a propriedade. O nosso objetivo passa então por encontrar todas e quaisquer provas sobre o visitante, de forma a influenciá-lo a mudar de ideias. A história do jogo tem uma premissa simples, mas despeja demasiada informação até a ação começar. Se o plano é apelar mais aos jovens jogadores, não serão todos os que irão prestar atenção a dezenas de linhas de diálogo.

A estrutura de The Addams Family: Mansion Mayhem é similar à do famoso Mario, onde temos um mapa estilo top-down e escolhemos os níveis. Os níveis estão divididos pelas várias divisões da propriedade, como por exemplo a cozinha e o cemitério (entre outras).

Lê mais:  Uncharted: Legacy of Thieves | Análise

Creio que a maior falha que este jogo tem é não aproveitar o material de origem com coragem. Com isto quero dizer é que o jogo é demasiado genérico no que toca à sua génese, sobressaindo apenas as personagens. Mesmo os ataques são praticamente os mais básicos possíveis, traduzindo a experiência numa oportunidade perdida, mas não para sempre! (Cá aguardo uma possível sequela com entusiasmo). Temos variedades nas “armas” mas apenas de mundo para mundo, o que torna a experiência repetiviva.

The Addams Family: Mansion Mayhem tem uma duração que segue a linha dos tradicionais platformers, portanto contem com cerca de 10 a 12 horas de jogo. A campanha pode ser jogada com mais três amigos (apenas locais), tendo inclusive mini-jogos à mistura, podendo estes ser utilizados para uma sessão competitiva.

Os pedaços de informação que vamos lendo entre os tempos de carregamento são bastante interessantes e ajudam a cativar o espírito da Família mas seria mais proveituoso que o fizessem durante os níveis, principalmente agora que os loadings vão ser praticamente inexistentes, talvez umas missões secundárias pelo meio das missões ajudassem a integrar melhor os restantes elementos da família.

Tal como referi acima, também na área audiovisual gostava que The Addams Family: Mansion Mayhem tivesse aproveitado mais a insanidade do mundo e utilizasse a característica vertente assustadora. Ao invés disto, os mundos basearam-se em temas que já vimos e conhecemos de outros jogos. Talvez por motivos orçamentais não tenha incluído vozes nas personagens durante o jogo mas certamente ajudavam à imersão.

Lê mais:  Prémios PlayStation Talents | Candidaturas abertas para a 8ª Edição

The Addams Family: Mansion Mayhem já está disponível para Nintendo Switch, Playstation 4, XBox One, na Steam para PC e na Google Stadia.

CONCLUSÃO
Divertido
6.8
the-addams-family-mansion-mayhem-analiseThe Addams Family: Mansion Mayhem traz de volta personagens emblemáticas mas falha em dar-lhes o destaque que elas merecem, colocando-as numa aventura cujo foco é alguém que não a família, e em nada contribui para a familiaridade com o grupo. Não deixa de ser um tempo bem passado com namorada/família/amigos, trazendo inclusive modos que potenciam o jogo para lá da história. Espero eu que seja o primeiro passo de muitos outros com sucesso para a PHL Collective pois estas personagens merecem destaque!