Para surpresa de absolutamente ninguém, cá estou eu a rever mais um título da saga We Were Here.

É sempre um deleite ter mais quebra-cabeças para resolver, venham eles em blocos, adivinhas, ou simplesmente cooperação mecânica. Infelizmente, ao invés de ser um género próspero, os quebra-cabeças acabaram por ser absorvidos por outros géneros, passando a ser complementos de títulos mais focados na narrativa ou na exploração. Nada contra, é sempre bom podermos diversificar, mas nada bate um bom quebra-cabeças, e esses, são raros.

The FriendShip é o primeiro jogo na linhagem da série Expeditions, trazendo um teste mais focado na coesão entre os jogadores, do que na sua capacidade em resolver quebra-cabeças. Claro que a Total Mayhem Games não desfalca os quebra-cabeças e traz momentos de coçar a cabeça, mas quando chegamos ao fim, temos uma pontuação dedicada à “amizade”, extraída de indicadores como o timing ou a cooperação em certos desafios cujos não quero revelar.

 + We Were Here Expeditions: The FriendShip | Análise + We Were Here FriendShip 1 +

Os títulos We Were Here nunca foram extensos, mas confesso que não esperava esta redução drástica de conteúdo, no entanto, a equipa deixa a sua explicação:

“Depois do sucesso de We Were Here Forever, estávamos ansiosos por fazer algo especial para celebrar a nossa “friendchise”. Queríamos oferecer a todos os jogadores – não importa quem são ou de onde vêm, quer tenham jogado todos os nossos jogos ou nenhum deles – uma oportunidade de desfrutar do encanto da série We Were Here, que é exatamente o que estamos a fazer com The FriendShip e o seu lançamento gratuito. Esperamos que todos gostem desta aventura, pois acreditamos que é um prazer bem merecido para todos”.

Regressa então a série cooperativa com mais uma aventura pronta a ser decifrada. Desta vez, encontramo-nos à deriva no mar, acabando por ter de procurar refúgio numa ilha que se revela ser mais do que parece. Após sermos apresentados aos anfitriões, somos separados e levados a salas diferentes para completarmos os três puzzles que esta iteração nos oferece.

Lê mais:  Sand Land | Análise
 + We Were Here Expeditions: The FriendShip | Análise + We Were Here FriendShip 2 +

A principal diferença em The FriendShip é mesmo a sua duração. Eu e o Diogo Lopes, ávidos fãs de desafios (vulgo, masoquistas), conseguimos platinar o jogo em cerca de 3 horas. Infelizmente queria mais tempo para me imergir na experiência mas tendo em conta que este foi lançado gratuitamente, não exijo a mesma duração do que um título como We Were Here Forever. Não obstante, a dificuldade dos puzzles mantém-se, o que pode prolongar esta experiência.

Mantendo-se a dificuldade, gostava que tivessem melhorado o sistema de hints, ao refazer alguns puzzles fomos ver as hints e não trazem foco suficiente à solução, apresentando apenas sugestões generalistas, como num puzzle que envolve matemática e cooperação através de posicionamento em simultâneo de peças que se devem completar estar uma das pistas com algo do género: “Não se trata só de ti, vê o que é que o teu parceiro precisa.” Ora obrigado, eu sei que o meu parceiro também precisa de pontuar, não fosse este um jogo cooperativo.

 + We Were Here Expeditions: The FriendShip | Análise + We Were Here FriendShip 3 +
As configurações são idênticas às de We Were Here Forever, oferecendo um chat de voz através de walkie-talkie que funciona que nem uma maravilha, possibilidade de remapearmos todos os botões, ou até mesmo a opção de, e leiam isto, alterarmos o Field of View.

Bethesda, adoro-te, mas vá lá.

We Were Here Expeditions: The FriendShip marca o passo para um novo rumo nesta belíssima franchise, oferecendo a todos os jogadores a hipótese de o obter temporariamente, passando depois a custar a módica quantia de 3,99€. Com um valor destes, e pela diversão que proporciona, é difícil não recomendar.

CONCLUSÃO
Puzzler
7.5
we-were-here-expeditions-the-friendship-analiseA Total Mayhem Games traz-nos uma aventura em formato mini, mas à espera de um grande coração no que toca à cooperação entre amigos.