Já se passaram 6 anos desde o lançamento de 1-2-Switch!, um dos jogos que acompanhou a consola híbrida Nintendo Switch. Ainda que, na minha opinião, o jogo fosse minimamente interessante e um excelente promotor das funcionalidades dos Joycon, acho que nunca deveria ter sido um jogo pago (50€). Muito à semelhança de Wii Sports, 1-2-Switch! deveria ter sido um jogo incluído (pré-instalado) na consola de forma a proporcionar momentos de diversão assim que se tirasse a consola da caixa.

Com isto em mente, eis que a Nintendo decidiu novamente apostar neste conceito de Party Game e abrir um pouco os seus horizontes, mexendo na formula já existente e criar o Everybody 1-2-Switch!, uma espécie de concorrente à Jackbox Games mas com toque Nintendo. Mas será que os milhões de donos de uma Nintendo Switch precisarão de mais um jogo destes nas suas consolas? É com esta análise que tu (e muitos outros leitores) vais poder tomar a tua decisão: se o jogo será uma boa ou má aposta do teu dinheiro.

Antes de mais, só para teres uma ideia do que este jogo se trata, deixo-te o trailer do mesmo:

17 mini-jogos com uma opinião mista

Everybody 1-2-Switch leva-te a ti e a tantos outros jogadores a criarem duas equipas e a defrontarem-se num conjunto de mini-jogos. A equipa que alcançar um determinado número de vitórias será coroada vencedora. Cada partida pode ser previamente definida para durar 20, 40 ou 60 minutos respetivamente, o que é bom para gerir o tempo com a malta que não tem muito tempo para ficar na festa ou aqueles que simplesmente querer “molhar só o pé” no jogo.

Bom, mas falemos do que interessa: os mini-jogos. Comparativamente com o seu antecessor, este Everybody 1-2-Switch! vem com menos jogos, mais especificamente 17, comparado com os 28 do anterior. Por consequência, isto traduziu-se num preço mais acessível para o jogador. No entanto, alguns jogos estão um pouco mais desenvolvidos e que podem ser jogados utilizando o Smartphone em vez dos JoyCon. Por exemplo, o jogo de tirar fotografia a cores é um dos meus favoritos; este desafia todos a tirarem uma fotografia a um objeto de uma cor específica, sendo que a melhor pontuação vai para aquele que tiver a cor mais próxima da solicitada. Outro jogo que também gostei bastante foi o das escondidas, onde uma equipa tem que esconder o seu JoyCon algures na sala e a outra equipa tem que o encontrar recorrendo à vibração deste para conseguir ouvir e detetar a sua localização.

Lê mais:  Gal Guardians: Demon Purge | Análise
 + Everybody 1-2-Switch! | Análise + everybody-1-2-switch-pic-1 +

Contudo, entre alguns jogos interessantes, chegamos a outros mais simples, como por exemplo o jogo de saltar à corda, o jogo do Bingo ou até de espadas de samurai. Estes são alguns exemplos que começam a arrastar a experiência para um nível mais medíocre.

Acrescentando o facto de que cada mini-jogo têm uma longa animação e conjunto de falas a explicá-lo, vais dar por ti a perder 20 minutos do teu tempo a jogar apenas quatro ou cinco mini-jogos que duram 2-3 minutos. Especialmente quando se joga apenas com dois ou até mesmo quatro jogadores. Em suma, se não possuis mais do que quatro pessoas amigas que estejam dispostas a participar, o jogo vai acabar por tornar-se demasiado aborrecido.

Um grande senão, e possivelmente o maior de todos, é que tu não podes selecionar um jogo que não tenhas jogado ainda. Ou seja, enquanto um jogo novo não sair na roleta (o método de escolha aleatória dos mini-jogos) tu não podes experimentar os 17 de uma vez. Para além disto, não há possibilidade de criar uma lista personalizada de mini-jogos. A única opção que tens é de jogar um mini-jogo de cada vez, fora do modo party.

 + Everybody 1-2-Switch! | Análise + everybody-1-2-switch-pic-2 +

Para rematar o meu descontentamento, temos o jogo do Quiz que, apesar de gostar bastante do nível de simplicidade e acessibilidade para os que não têm grande conhecimento de cultura geral, como eu, tornam-se desafios autênticos para os jogadores mais novatos ou pessoas com pouco conhecimento da língua inglesa.

Ora, a Nintendo tem vindo a apostar mais em jogos localizados para o público português (ainda que Português do Brasil) há já algum tempo. Então porque é que o Everybody 1-2-Switch! não recebeu o mesmo tratamento? Haverá algum critério para poder ser traduzido? Só a própria empresa nipónica saberá…

Um jogo acessível em que qualquer um pode entrar

A maior fraqueza de um videojogo multi-jogador é a falta de comandos para toda a gente. Quer seja por falta de orçamento para adquirir um comando extra ou simplesmente por haver mais pessoas do que o limite do jogo. Mas é aqui que Everybody 1-2-Switch! arrecada pontos positivos: caso não tenhas Joy-Con suficientes para todos, poderás jogar 12 dos mini-jogos recorrendo ao Smartphone, permitindo até 100 pessoas juntarem-se através do seu equipamento móvel.

Lê mais:  Tomb Raider I-III Remastered | Já disponível!

Eu creio que é aqui que o jogo excela na diversão (quase independentemente do mini-jogo). Isto porque haverá sempre espaço para mais trapalhada e descoordenação por parte de ambas as equipas, desenrolando-se em alguns momentos de diversão e gargalhada. Agora se me perguntares se alguma vez vou conseguir arranjar 100 pessoas para jogar comigo, é provável que a minha resposta seja “Nunca”. Contudo, é necessária uma conexão à internet para usar o modo Smartphone.

 + Everybody 1-2-Switch! | Análise + everybody-1-2-switch-pic-3 +

Já que falamos em muitos jogadores ao mesmo tempo, normalmente vem à tona o assunto do barulho e do espaço. Eis que a Nintendo teve isso em consideração e decidiu implementar opções que te são disponibilizadas antes do começo das partidas, permitindo filtrar jogos que utilizem muito espaço e muito barulhentos para a vizinhança. Em complemento, existe uma opção de pontos extra que permite dar alguns pontos extra a uma equipa que esteja a perder por demasiados pontos. Uma maneira simples para não desmotivar quem perde.

Há que ter em consideração uma coisa: apesar de termos 17 jogos, existem quatro que apenas podem ser jogados via Smartphone. Estes são o Bingo, Leilões, Quiz e Color Shot. Caso tu ou outro jogador não sejam do tipo de pessoa que gosta de utilizar telemóvel para jogar, poderás riscar então mais uma fatia importante de jogos.

Outra coisa que deves ter em consideração é que, ao entrares no jogo via browser, tens que permitir o acesso às câmaras e controlo de movimento que são solicitadas no telemóvel, correndo o risco de ficares excluído daquele jogo.

Execução visual bem polida e atraente

 + Everybody 1-2-Switch! | Análise + everybody-1-2-switch-pic-horace-2 +

Everybody 1-2-Switch! apresenta visuais e animações atraentes que chamam o olho. Se jogaste 1-2-Switch!, então este jogo vai parecer-te bastante familiar. Acompanhando estes visuais, temos um apresentador muito animado chamado Horace, um “bacano” vestido com uma cabeça de cavalo. Confesso que a escolha foi interessante, ainda que um pouco cliché, e acaba por funcionar!

No departamento audiovisual, temos aqui uma seleção catita de músicas e sons que acompanham o jogo. Todas elas foram talhadas para cada mini-jogo, proporcionando um ambiente sonoro envolvente em cada desafio.

Interessado? O jogo já se encontra disponível, em exclusivo para a Nintendo Switch, no formato digital na Nintendo eShop.

CONCLUSÃO
Bom, mas...
6
Bruno Dores
Um fanático por Nintendo, de nome "Nintendista", que procura mostrar ao mundo o lado mágico da empresa que o acompanhou durante toda a vida.
everybody-1-2-switch-analiseEverybody 1-2-Switch! é mais um jogo que pretende reunir o maior número de pessoas para desafiarem-se em equipas em mini-jogos ao estilo Nintendo. Contudo, muitos deles são pouco originais e facilmente se tornam desinteressantes para as futuras partidas. Sim, há uns três ou quatro que são grandes selecções mas se também não houver um grande número de jogares a participar, a diversão não ganha força. Se não tens muitos amigos que gostem de party games, desvia o olhar deste jogo.